26.6.10

É preciso "gana" para vencer!


A Celeste entrou em campo como grande favorita. Além de ostentar dois títulos mundiais, a equipe não havia levado nenhum gol na fase de classificação. Já a Coreia do Sul, aos poucos, tenta impor respeito por estar defendendo a Ásia nas últimas sete Copas. Aparentemente mais defensivo, o time asiático partiu para o jogo de igual para igual. Park Chu Young quase abriu o placar ao acertar uma cobrança de falta na trave, mas o castigo veio rápido. Aos 7min, o personagem do jogo começava a dar as caras. Luis Suárez completou o cruzamento de Forlán e abriu o placar para o Uruguai.

Daí entra a parte onde eu fico puto! O Uruguai tinha o jogo na mão. Mais consistente, defesa forte, melhor toque de bola! Tinha tudo para ampliar e garantir com tranquilidade a vaga, mas optou por recuar e ficar dependendo de contra-ataques.

É lógico que a Coreia foi pra cima! Congestionou o meio campo e começou uma pressão sem tamanho contra o gol de Muslera. Um bombardeio, eu diria! O técnico coreano colocou o time pra frente e, de cabeça, Lee Chung Yong empatou.

Foi aí que o Uruguai lembrou de jogar de bola. Lembrou de ter "gana" e de que poderia vencer no tempo normal! Foi para o ataque novamente. Controlou o meio campo e numa bela jogada no bico de área esquerdo, Luis Suárez bateu no ângulo oposto do goleirão. Golaço que pôs a Celeste à frente novamente. O apito final confirmou a classificação quase previsível do Uruguai que, por ação da teimosia em se retrancar após marcar um gol, por pouco não ficou nas mãos dos valentes Guerreiros Taeguk.


A classificação dos Estados Unidos para as oitavas de final foi heróica, o que encheu de moral todo elenco americano. Já Gana chegou na segunda fase da Copa repleta de incertezas e como única representante do decepcionante futebol africano.

Quando a bola rolou no Estádio Royal Bafokeng, os ganeses surpreenderam. Sufocaram o time de Bobby Bradley com velocidade e marcação na saída de bola. Resultado: com cinco minutos de jogo, Prince Boateng partiu com tudo pra cima da zaga e bateu firme no canto direito do goleiro Howard. Um a zero!

Mesmo à frente no placar, Gana continuou no ataque, apertando os Estados Unidos, que só foram se encontrar na partida a partir dos 30min do primeiro tempo. Mais equilibrado, o confronto seguiu brigado no meio campo e com poucas chances de gol.

O time americano demonstrou muita consciência tática e aplicação. Não existe bola perdida para eles. Foi assim que a equipe entrou para a segunda etapa. Com Bradley e Dempsey aparecendo mais no campo de ataque, por vários momentos o empate ficou perto. Até que em uma boa jogada individual de Dempsey, o zagueiro Jonathan cometeu pênalti . Na cobrança, o ídolo Landon Donovan não desperdiçou: 1 a 1! Depois disso, a melhor chance de matar a partida saiu dos pés de Altidore, que mesmo sem equilíbrio perdeu um gol incrível cara a cara com o goleiro Kingson. Como ninguém marcou, prorrogação!

Nem deu pra descansar e Gyan já saiu fazendo o segundo gol dos africanos no início do tempo extra. Bela arrancada em velocidade. Chute forte na saída de Howard. O 2 a 1 deixou Gana em posição de se defender das ofensivas americanas. E isso foi o que aconteceu durante toda a prorrogação. A raça dos jogadores Ianques se fez presente novamente. Correram, se esforçaram ao máximo, mas diferentemente da partida diante da Argélia, dessa vez o gol não saiu!

A vitória de Gana mantém viva nesta Copa a alegria de quem torce pelo continente africano. O seu único representante começa a escrever uma nova página na história do futebol que poderá ser coroada na próxima etapa diante do Uruguai, com a melhor participação de uma equipe da África em uma Copa do Mundo se avançar às semifinais. Me desculpem o trocadilho, mas esse time realmente mostrou "gana" de vencer e pode chegar ainda mais longe!

3 comentários:

André Augusto disse...

Lamentei de verdade pelos EUA, que tomaram o gol na prorrogação em um balão (muito bem aproveitado pelo Gyan) e depois ficaram sem pernas no segundo tempo do tempo extra. No tempo normal, foram mto bem no segundo tempo e tentaram ganhar até o final, sem levar para prorrogação.

Individualmente, Gana é um time bom. Mas ainda acho um time "meio displicente". Relaxou no segundo tempo. Se o uruguai fizer o trivial, pode chegar às semis.

gerson disse...

André, acho que o time dos EUA correu no limite no segundo tempo, por isso babou na prorrogação.
Se Gana jogar como jogou no primeiro tempo será parada duríssima para o Uruguai. Acho que faltou perna.
Tenho minhas dúvidas. Embora eu esteja torcendo muito pela celeste, acho que isso dependerá da aptidão de Tavarez para fazer uma boa leitura do jogo dos africanos.

Thiago Barretos disse...

Acredito que os EUA não chegaram a virada por causa de uma coisa muito simples: eles não têm centro-avante.
Depender de Altidore, Findley e Feilhaber é o fim da picada! Gana, a retranca africana (não à toa treinada por um sérvio), aproveitou-se disto e marcou na únioca bola que Gyan recebeu com claras chances de finalização.
Simples assim...
Só não digo que este jogo será uma barbada para os uruguaios porque a Celeste corre muitos riscos qdo não se propõe a atacar. Se Tabarez corrigir este problema, eles estarão nas semifinais.