5.1.10

Melhores de 2009 – UEFA


Tradicional votação realizada através do site da UEFA desde 2001, o Team of the Year dá a chance aos internautas elegerem a equipe do ano no futebol europeu. E assim como no ano passado, me basearei na votação da entidade européia para tentar montar o melhor onze – mais capitão e treinador da equipe – de 2009. Em relação à 2008, poucas mudanças nos 11 que escolhi, na equipe que tem como base o Barcelona, obviamente. O sistema tático utilizado pela UEFA é o 4-4-2.

Júlio César (Inter) – Seguramente, o arqueiro brasileiro está pelo menos entre os três melhores do planeta atualmente. A metade final da temporada 2008/09 foi impecável por parte do brasileiro, com grandes jornadas na Série A, Copa das Confederações e na Champions League, particularmente na primeira partida das oitavas de 2008/09, frente ao Manchester United, onde o brasileiro assegurou o resultado sem gols no Giuseppe Meazza, já que ofensivamente a Inter era quase nula naquele jogo – depois, a equipe nerazzurri seria eliminada pelos ingleses na partida de volta. Tanto no Brasil de Dunga – onde atuou nos 18 jogos das Eliminatórias, sofrendo 11 gols - quanto na Inter de Mourinho, é peça fundamental. Outros candidatos: Van der Sar (Manchester United), Casillas (Real Madrid), Valdés (Barcelona) e Neuer (Schalke 04).

Maicon (Inter) – Se maior concorrente na posição também briga com ele pela vaga no Brasil: Daniel Alves. Mesmo sendo menos técnico que o lateral do Barcelona, tem mais fôlego, é melhor na cobertura e marca alguns gols pela presença constante no ataque. Em suma, acho que ele é o mais completo em sua posição na atualidade. Outros candidatos: Daniel Alves (Barcelona), Darijo Srna (Shakhtar), Javier Zanetti (Inter) e Lahm (Bayern).

Terry (Chelsea, capitão) – O inglês, com mais de 50 jogos pelo English Team, é freqüentador assíduo das premiações da FIFA e da UEFA. Já havia sido escolhido como defensor do ano pela entidade em 2005, 2008 e 2009. Com 29 anos, atinge a maturidade em campo, capitaneando Inglaterra e Chelsea, sem perder a técnica que lhe diferencia da maioria dos zagueiros.

Puyol (Barcelona) – Capitão nato como Terry, não tem a técnica apurada do inglês. Mas certamente seu brio e espírito de luta ajudaram o Barcelona nas conquistas mundo afora, liderando a defesa blaugrana. Falhou muito pouco em 2009. Outros candidatos/defesa: Vidic (Manchester United), Pique (Barcelona), Chiellini (Juventus), Ferdinand (Manchester United), Chygrynskiy (Shakhtar/Barcelona), Vermaelen (Ajax/Arsenal), Mertesacker (Werder Bremen) e Bruno Alves (Porto).

Evra (Manchester United) – Assim como dito no post do ano passado, a lateral esquerda e a posição mais carente de nomes consistentes no futebol mundial. Dentre eles, Evra acaba se destacando. Figura constante na França de Domenech e melhor em sua posição na última Premier League, o francês consegue dosar boas subidas ao ataque e fechar o lado esquerdo da defesa mancuniana. Tem boa técnica e é veloz, formando uma ala perigosa quando atua ao lado de Giggs. Outros candidatos: Ashley Cole (Chelsea), Abidal (Barcelona), Cissokho (Porto/Lyon) e Schäfer (Wolfsburg).

Xavi (Barcelona) – O mais completo em sua posição, o camisa seis do Barça alia a boa colocação na cabeça de área aos passes precisos e ditando a velocidade para a transição para o ataque da equipe de Guardiola. Eleito melhor em campo na final da Champions e com mais de 80 jogos pela Espanha, foi aclamado como o terceiro melhor do mundo pela FIFA em 2009. Mas bem que ele poderia ser o segundo. Outros candidatos: Xabi Alonso (Liverpool/Real Madrid), Yayá Touré (Barcelona), Sergei Semak (Rubin Kazan) e Lampard (Chelsea).

Iniesta (Barcelona) – Motorzinho do Barcelona, desenvolve função semelhante a de Xavi, só que pela faixa esquerda de campo. Foi importante na reta final da Champions, quando marcou o gol que classificou o Barça às final contra o Chelsea, em Stamford Bridge, além de ser o autor do passe para Eto’o inaugurar o marcador da grande final. Outros candidatos: Giggs (Manchester United), Ribéry (Bayern), Arshavin (Arsenal) e Mesut Özil (Werder Bremen).

Cristiano Ronaldo (Manchester United/Real Madrid) – Apesar de não ter repetido a fantástica temporada 2007/08, foi uma das peças primordiais do Manchester United na reta final de 2009, ao lado de Rooney. Contratação mais cara da história, o português vem dando certo no Real Madrid e mostra melhor adaptação em relação a outro galáctico, o brasileiro Kaká. Já é o principal jogador merengue da temporada até aqui. Outros candidatos: Dejan Stankovic (Inter), Milos Krasic (CSKA Moscou), Jesus Navas (Sevilla) e Marek Hamsik (Napoli).

Kaká (Milan/Real Madrid) – O brasileiro acabou cedendo à tentação dos euros madrilenhos, após ter recusado uma proposta milionária dos petrodólares do Manchester City. Também não atuou ao nível de temporadas anteriores, mas ainda assim, foi importante no retorno do Milan à Champions 2009/10 e na campanha do Brasil de Dunga na reta final das Eliminatórias e na Copa das Confederações, onde só não foi melhor que Luis Fabiano. Outros candidatos: Gerrard (Liverpool), Gourcuff (Bordeaux), Misimovic (Wolfsburg) e Diego (Werder Bremen/Juventus).

Messi (Barcelona) – Mesmo não reeditando suas grandes jornadas de Barcelona na seleção argentina, o meia destoou de todos os seus adversários para a conquista da coroa de melhor do mundo da FIFA e a Bola de Ouro da France Football. Terminou 2008/09 com 38 gols e 18 assistências, liderando tecnicamente o Barcelona em sua temporada de conquista das seis taças.

Rooney (Manchester United) – Pouco antes da saída de Cristiano Ronaldo de Old Trafford, o atacante já dividia com o português o posto de protagonista da equipe. Com a saída de Ronaldo para a Espanha, o camisa dez não se fez de rogado e assumiu a responsabilidade de maior craque da equipe. Goleador nato e brigador incansável, já acumula 94 gols na história da Premier League e 25 gols pela Inglaterra, mesmo tendo apenas 24 anos. Outros candidatos/ataque: Eto’o (Barcelona/Inter), Dzeko (Wolfsburg), Grafite (Wolfsburg), Torres (Liverpool), Villa (Valencia), Ibrahimovic (Inter/Barcelona), Forlán (Atlético de Madrid) e Berg (Hamburg).

Josep Guardiola (Barcelona) - O mais surpreendente no jovem técnico é que ele montou o Barcelona em sua primeira experiência como treinador de futebol. Filho do Camp Nou, o técnico é contra as concentrações e algumas outras tradiocionalidades do mundo do futebol. Contudo, não perde as rédeas da equipe, que além do futebol que encantou o mundo, mostra grande obediência tática para suprir uma equipe que joga categoricamente no 4-3-3. Nele, Messi e Henry ajudam a combater os alas adversários, enquanto Xavi e Iniesta são de grande valia na ajda aos defensores e ditando o ritmo de armação das jogadas. Os laterais gostam de atacar, mas não fazem feio atrás. E Guardiola arredondou esse Barcelona - considerado um dos melhores esquadrões do clube em todos os tempos - em apenas uma temporada. Outros candidatos: Mircea Lucescu (Shakhtar), Alex Ferguson (Manchester United), Laurent Blanc (Bordeaux) e Horst Hrubesch (Alemanha Sub-21).

Concorda ou discorda desta seleção? Monte seu time através dos comentários deste texto.

3 comentários:

Lucas palmeirense da oposição disse...

quer trocar de link cmg? espero sua resposta la no http://www.palmeirasaovivo.com.br/

Vinicius Grissi disse...

Como você disse, o único nome que não empolga é o do Evra. Mas, de fato, não há outro brilhando na Europa.

Pedro Leonardo disse...

Cadê o Ibracadabra?