31.1.09

Decisão para quem não treme...

Neste fim de semana boa parte do mundo vai estar ligado nas telas de televisão. Eleição americana? Não. Jogos Olímpicos? Tão pouco... O motivo dessa explosão de audiência tem nome e marca registrada. SuperBowl. E bota marca nisso. A final do futebol americano é o evento esportivo mais assistido no mundo e, conseqüentemente, o produto comercial mais desejado pela mídia publicitária.

Em campo, estarão lado a lado duas equipes de chegada. Arizona Cardinals e Pittsburgh Stellers. Durante a temporada regular, os times começaram de forma bem oposta. O “ferreiros”de Pittsburgh iniciaram a competição sem empolgar. No entanto, liderados pela força de sua defesa, o time não parou de ganhar e terminou a primeira fase com a segunda melhor campanha na liga, com 12 vitórias e 4 derrotas. Já os Cardinals iniciaram a caminhada jogando um futebol vistoso. Comandados pela potência do jogo aéreo, o time do sudoeste americano perdeu fôlego durante a temporada e chegou até os playoffs com uma das piores campanhas entre os finalistas.

Só que o Futebol Americano é fascinante por sua capacidade de elevar nanicos a grandes alturas. Times tidos como virtuais finalistas da NFL, como New York Giants e Tenesse Titans, foram caindo um a um. Indianapolis Colts, Minesota Vikings e Miami Dolphins também não resistiram. Entre os quatro semifinalistas, três azarões. Há duas semanas, o país conheceu os dois finalistas e, mais uma vez, a decisão do esporte mais popular dos EUA vai colocar frente a frente um ataque poderoso contra uma defesa infernal.

Liderados pelo experiente quarter back Kurt Warner, o time de Arizona aposta suas fichas na excelente performance ofensiva da equipe nos playoffs. O recebedor Larry Fitzgerald está em grande fase e pode se tornar uma das estrelas da liga. A grande dificuldade do time vai ser a defesa. Numa partida como o SuperBowl, o equilíbrio defensivo pode ser mais fundamental do que o ataque.


E por falar em força defensiva, preste atenção num cabeludo no melhor estilo “Valderrama”. Troy Polamalu foi o grande nome dos Stelelers em 2008. Com ótimas coberturas e interceptações fundamentais, o homem da cabeleira mais vistosa da NFL vai experimentar o gosto de disputar a grande final com status de estrela. Mas o time de Pittsburgh reserva outras forças, como o bravo quarter back, “Big Ben”. Ben Roethlisberger é o típico cara que parece fraco durante a temporada, mas funciona como poucos nas horas decisivas. Por esse motivo, acredito que o time amarelo deve levar o título, já que tem um conjunto mais consistente.

Com ou sem favorito, a única coisa que eu garanto é que vale a pena sintonizar na ESPN ou correr para algum buteco para assistir a partida. Se não for pelo futebol, pode ser pelo show de música que todos os anos abrilhanta a festa. Esse ano vai rolar Bruce Springsteen e E Street Band. Vale a pena conferir!

3 comentários:

André Augusto disse...

Big Ben fez uma ótima partida, mas o Holmes brilhou no final, além das 100 jardas fantásticas que resultaram o touchdown do pesadão Harrison. Achei que o Warner deu uma amarelada no final. Mesmo assim, o Cardinals valorizou um SuperBowl emocionante, abrilhantando a conquista dos Stellers!

Net Esportes disse...

Depois da final incrível de 2008, a expectativa era sem dúvida de mais um jogão, mas não espera tanta emoção.... que esporte sensacional que é o Futebol Americano...

Bruno Calixto disse...

o jogo foi sensacional. não acho que o kurt warner 'amarelou', afinal não é fácil enfrentar a defesa do pittsburgh... o erro do cardinals foi o mesmo que o do eagles na final da nfc: tremeu no começo do jogo, aí teve que correr atras do prejuízo... acho que foi isso que tornou o jogo tão bom.