7.8.08

Copa sem pé nem cabeça ?


Na semana passada começou mais uma Copa Sulamericana. A sétima edição de um torneio que ainda não caiu nas graças do povo, nem dos times brasileiros. As razões são várias, como a disputa conjunta com o Brasileirão e a preocupação em manter o elenco em totais condições físicas para alcançar vôos mais altos no campeonato regional.

Com isso, a competição continental, espécie muito meia-boca de Copa da UEFA é deixada de lado. Obviamente que não quero comparar competições daqui e do velho continente, mas que a UEFA organiza competições muito mais interessantes, e por que não dizer inteligente, isso faz. Basta ver o marketing e a propaganda envolvida em seus torneios, como o que é feito com a final da Champions League, por exemplo, sendo uma das partidas esportivas mais vistas em todo o globo.

Mas voltando a realidade daqui, a Sulamericana precisa se “profissionalizar” muito para se tornar atrativa. A participação é, para muitos, um prêmio de consolação por um rendimento mediano nas competições nacionais. O regulamento da competição já foi modificado inúmeras vezes, sendo disputada em chaves ou grupos e em matas-matas definidos em sorteios. Atualmente, a competição começa com uma espécie de eliminatória regional entre clubes do mesmo país.

No caso do Brasil, os vencedores dessa eliminatória chegam à fase internacional do evento pegando logo de cara os times argentinos, numa tentativa mal sucedida de atrair público e audiência para o torneio.

Com essa genial idéia dos organizadores, os grandes confrontos que poderiam ocorrer numa semifinal ou final são deixados de lado, obrigando os clubes a se enfrentarem logo nas primeiras fases. Por isso, não é muito difícil ver finais estranhas, para quem é acostumado a ver decisões de Libertadores com times de tradição como São Paulo e Boca Juniors.

As ultimas finais da Sulamericana entre Pachuca (MEX) e Colo-Colo (CHI), em 2006, e Arsenal (ARG) e América (MEX) no ano passado, provam que a competição não está tão bem representada em seu quadro de campeões. Por isso fica mesmo difícil fazer um prognóstico da competição deste ano, já que ainda estamos em período de transferências do futebol europeu, o que pode gerar perdas para os times participantes. Além disso, o andar do Brasileirão é essencial para que o clube se dedique ou não à disputa pelo caneco.

A premiação também foi uma iniciativa promovida pela CONMEBOL para atrair os clubes. As altas cifras pagas servem como incentivos para os clubes, pegos pelos bolsos, literalmente. Além do dinheiro, o campeão tem o direito de disputar uma recopa, no meio do ano, contra o campeão da Libertadores do ano anterior.

Mesmo com todos esses incentivos, para que ela se torne de fato interessante, lucrativa e com alguma tradição, é necessário criar um regulamento mais interessante que não proporcione confrontos atraentes antes da hora, fazendo com que os finalistas façam jus ao título de campeão sulamericano.

E você? Gostaria de ver seu clube campeão da Copa Sulamericana? Opine !!!

8 comentários:

Felipe Brisolla disse...

A Sulamericana deveria ser disputada no primeiro semestre, junto com a Libertadores... Quem participa de uma, não participa de outra... e ponto final..

A Copa do Brasil sim, essa deveria começar agora.. com TODOS os clubes brasileiros, e não apenas com os que fracassaram na temporada anterior

Levy Lopes Furtado disse...

Eu gostaria de ver meu time campeão de um título pelo menos por ano. Sendo Sulamericana ou qualquer outro que ele dispute!

A propósito, sou Fluminense com muito orgulho!

Thiago Barretos disse...

É incrível o q eu direi, quase impossível, mas é verdade. Concordo c/ o companheiro de blog Felipe Brisolla.
Copa do Brasil no segundo semestre e Sul-Americana no primeiro. As duas competições seriam ainda mais valorizadas e o calendário seria muito mais inteligente.
Qto à Sul-Americana, acho q o problema é a falta de critério p/ a escolha das equipes...
Tem país q usa o msm time na Libertadores e na Sul-Americana. Daí não tem como o torneio ganhar credibilidade...

Felipe Brisolla disse...

Sábia decisão, meu caro Barretos.

Quanto a você, nobre Levy Lopes, é bacana saber o seu amor pelo Fluminense. Mas se torcesse para um time que realmente ganhasse títulos, não iria querer saber da Sulamericana!

Felipe Moraes disse...

Não é lá uma Libertadores da América, mas é título. Se meu Palmeiras vencesse, comemoraria como qualquer outro título.

Abraço,
Felipe Moraes

André Augusto disse...

Discordo. Se vc colocar os times que nao foram à Libertadores, o nível técnico da competição fica prejudicado eo torneio fracassará, como a falecida Copa Conmebol.

Eu até concordo que todos os times participem da Copa do Brasil, mas sendo disputada ao mesmo tempo que a Libertadores, com certeza os participantes da competição sulamericana descartariam a CB mais a frente, assim como acontece com o Brasileirão. E para isso, a Sulamricana teria de passar para o primeiro semestre, para que a CB fosse no segundo. Ou seja, alguém se ferra na história.

Felipe Brisolla disse...

Para discordar ou concordar, vc precisa apontar uma solução. Tb imagino que a SulAmericana ficaria mais esvaziada, mas não tem outro jeito. Uma saída seria fazer o torneio no primeiro semestre, com menos times, num formato de grupos. Poderiamos ter clubes de grande porte, que chegaram em posições razoáveis no ano anterior. Como o quinto e sexto lugar no brasileiro, o terceiro e quarto paraguaio, por ai vai. Seria uma competição com menos clubes, e de melhor qualidade...

Darcio disse...

Eu gosto da sulamericana. É um torneio que ainda está em suas primeiras edições e pelo menos as equipes que nela participam são por critérios técnicos.

Essa foi a parte séria do meu comentário.

Mas principalmente por poder dizer: O Corinthians não tem passaporte!