14.12.08

Faltou ele

Que as listas e prêmios da FIFA - de qualquer natureza - causam inúmeras discussões e polêmicas entre o mundo da bola, isso é visível. As listas do ranking da FIFA de seleções sempre causam polêmica, quase sempre pela visão “europeizada” da entidade. A eleição de melhor atleta do ano causa o mesmo tipo de impacto e sempre se tem a impressão de que alguém está sendo injustiçado.

Como já expus aqui no blog sobre o prêmio, Cristiano Ronaldo merece ser eleito o melhor do mundo. Os êxitos do Manchester na temporada passada tiveram como principal protagonista o português, que em grande forma anotou 42 gols nas principais competições de 2007/08. No entanto, a contusão nesta última pré-temporada e o posterior retorno irregular aliadas a má campanha de Portugal na Eurocopa são os argumentos para que os defensores dos outros postulantes ao prêmio não simpatizem com a escolha de Ronaldo, grande favorito ao título em 2008.

Claro que a eleição deve premiar a regularidade e a produtividade dos atletas. Como o Barcelona em 2007/08, Messi não foi regular, mas teve lampejos de bom futebol. Mas em 2008/09, Messi – assim como o Barça – vem comendo a bola e encantando a todos. Candidato a principal protagonista na Copa de 2010, na minha visão, Messi pode não ter sido o melhor e mais constante em 2008, mas com certeza ele “está” melhor do mundo. É um grande trunfo para o futuro e, em breve, deve abocanhar a alcunha de melhor do mundo de forma incontestável.

Fora o nome em comum de Messi e Cristiano Ronaldo, os outros nomes causam discódia e muitas discussões. Os eleitos pela FIFA para concorrer aos citados neste post – Xavi, Torres e Kaká- têm suas qualidades, mas acho que só o volante/meia do Barcelona é regular e eficiente neste ano para figurar nessa lista. Trata-se de um dos principais jogadores dos blaugranas há tempos e jogou muita bola na Eurocopa, onde foi o melhor jogador na conquista da Espanha. Já as escolhas de Torres e Kaká parecem mais média do que mérito. Torres fez uma boa primeira temporada de adaptação ao futebol inglês e teve sua cota de participação no êxito espanhol na Euro, mas não foi acima da média. Tal qual como Kaká, que ao contrário do ano passado, quando comeu a bola e ganhou o prêmio de forma incontestável, ele ficou abaixo da média em 2008, tanto por conta da contusão que o acometeu, quanto pelo fracasso com o Milan, onde o time rossoneri não foi capaz nem de se classificar para a Champions League desta temporada.

Por tudo isso, faltou Ibrahimovic na lista dos cinco (anteriormente, eram só três). Principal jogador da Inter desde que se adaptou à equipe (transferido da Juventus por conta do escândalo que levou a equipe à segunda divisão), o sueco teve grande contribuição nos últimos scudetos conquistados dentro de campo pelos nerazzurri. De futebol sempre regular, alia a força física a habilidade e oportunismo, algo semelhante a Henry nos bons tempos de Arsenal. Referência no time de José Mourinho, a equipe sempre recorre a ele quando tem de decidir. E quase sempre o sueco correponde. Na vitória deste domingo sobre o Chievo – onde a Inter complicou o jogo ao permitir o empate depois de estar na frente por 2-0 – Ibra mostrou mais uma vez que não foge da raia: marcou os dois gols que deram a vitória a Inter, mostrando muita presença de área no gol de desempate, marcado de cabeça, e no quarto gol, quando acertou uma bomba na meta do goleiro Sorrentino.

Ao fazer média com Kaká ou Torres, a FIFA deixa um jogador como Ibrahimovic de fora de uma lista de melhores atletas do mundo. Apenas por conta de nome ou estritamente dos resultados dos times/seleções dentro de campo. Em um prêmio como esse, a individualidade deve prevalecer sobre a coletividade. E, individualmente, Ibrahimovic já se destaca no futebol há algum tempo.

RELEMBRE:
Zagueiro de Ouro, Cannavaro (2006)
Incontestável, Kaká (2007)

4 comentários:

Saulo disse...

O Cristiano Ronaldo vai ser o melhor do mundo.

carlos pizzatto disse...

É isso.

Se para mim Alex, do Inter, deveria estar entre os 5 melhores do mundo, que dirá eu de Ibra, da Inter!

Sou fãzaço do futebol dele.

Felipe Brisolla disse...

Eu também não concordo com essa velha história da FIFA premiar somente os que vencem títulos... O que significa que um jogador nunca vai ser o maior se ele for vice-campeão...

Ridículo... Afinal, como já foi citado, o prêmio é individual...

Sobre o Futebol Carioca disse...

afim de fazer parceria?
trocar link? eu boto o seu e vc coloca o link do meu blog