21.8.09

Máfia do Apito: vitória da impunidade, de goleada!


Outubro de 2005. A Revista Veja estampa na sua capa um esquema de manipulação de resultados no Campeonato Brasileiro de Futebol que ficou conhecido como “Máfia do Apito”. Escândalo geral: árbitro preso de pijamas na sua residência, jogos anulados, campeonato manchado, novas partidas e a idoneidade do futebol nacional, antes já não tão limpa, atirada no lixo.

Agosto de 2009. Quatro anos depois, a 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo decide pelo trancamento da ação penal considerando que o quadro demonstrado não configura crime. Punição aos criminosos? Ops, desculpem-me pela qualificação indevida... punição aos envolvidos somente se o Ministério Público entrar com outra ação.

As investigações realizadas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), pelo Ministério Público e pela Polícia Federal detectaram que o esquema era formado por árbitros (Edílson Pereira de Carvalho, que chegou a ser preso, e Paulo José Danelon, que confessou ter negociado três jogos do Campeonato Paulista daquele ano) que aceitavam manipular resultados em favor de empresários ligados a sites de apostas. Os envolvidos estão livres das acusações de estelionato, falsidade ideológica e formação de quadrilha. Segundo o Tribunal de Justiça, o caso não se enquadra nas acusações citadas e também não há uma lei específica sobre manipulação de resultados no Brasil.

O jogo de interesses que permeia os bastidores do futebol nacional provavelmente influenciou na decisão dos excelentíssimos desembargadores, que resolveram fechar os olhos diante dos fatos e inocentar quem manipulou resultados, enganando torcedores que pagaram ingressos, por exemplo. Segundo os magistrais magistrados essa situação não se configura estelionato e, por consequência, formação de quadrilha. Você que é pai de família que se vire para explicar isso para seu filho: que manipular resultados em favor de alguém que está lucrando com isso, lesando outros tantos, não é estelionato. Eu por sorte, ainda não tenho nenhum e por isso não preciso passar noções de educação, respeito, justiça, moral, etc, etc e etc.

A decisão não apenas mancha de vez o campeonato daquele ano e o futebol nacional como um todo. Abre brechas para que ações desse gênero sejam realizadas com a certeza da impunidade.

Como a ação foi traçada, as milhares de páginas com provas concretas sobre o esquema sequer foram analisadas, não havendo um julgamento do mérito da questão. As fitas com as 20 mil horas de conversas telefônicas gravadas durante as investigações jamais foram ouvidas e já podem ser reutilizadas para gravar canções da Xuxa, da Ivete Sangalo e até mesmo do Latino ou do Dado Dolabella, se assim preferirem.

A decisão cabe recurso, porém, demoraria mais quatro, oito ou dezesseis anos para que a ação criminal fosse retomada. Vitória de Edílson, Danelon e todos os envolvidos na manipulação dos resultados para beneficiar apostadores. Estão todos a partir de hoje com a ficha limpa. Ninguém aqui que ouse chamar Edílson Pereira de Carvalho de juiz ladrão, mesmo porque, quem o fizer poderá ser processado.

Entre as manchetes do dia, poucas linhas para o fato. Quem se importa, não é verdade? O Brasileirão de 2005 já acabou mesmo e os envolvidos a essa altura já até gastaram as cifras que ganharam com o esquema. O que importa é a arrancada do Jason Tricolor, o desmanche no Timão, o Imperador que voltou à Seleção e a vida que segue. O melhor eu estava esquecendo: 2014 tem Copa no Brasil e até lá acontecerá o milagre da multiplicação de estádios, infraestrutura e desenvolvimento do nosso futebol, que chegará aos rincões mais longínquos do país. Besta eu e quem mais que está se preocupando com um passado tão remoto. Vamos olhar para a frente minha gente...

“Tem gente que vende a mãe, não é? Mas acho que não existe tipificação criminal para isso também. Isso eu sei e os desembargadores Cristiano Kuntz, Francisco Menin e Francisco Miranda também devem saber. Edílson e Danelon idem. Eu aposto que eles sabem”, Luís Carlos Quartarollo, jornalista da Rádio Jovem Pan.

12 comentários:

André Augusto disse...

O futebol é espelho da realidade brasileira, de Sarney, ACM, castelos...

Infelizmente, essa ae eles já ganharam, como seu título bem resumiu. Puta texto!

Abs!

Saulo disse...

Isso é vergonhoso como acontece em Brasília também.

Arthur Kleiber disse...

O Brasil cada vez mais se coloca como o país da piada pronta... Simplesmente lamentavel

Vinicius Grissi disse...

O mais lamentável desta história toda é que os árbitros hoje sabem que podem fazer o que quiserem que nada vai acontecer com eles. Este é o Brasil...

Bruno Calixto disse...

ótimo artigo. é crucial que escândalos como esse não caiam no 'esquecimento coletivo'.

abs

Rafael disse...

Não podemos admitir absurdos como esse. Mais uma vez fomos feitos de palhaços pela cartolagem. É triste saber que bandidos como esses sairão impunes.

Soraia Alves disse...

Pois é, o Brasil parece fazer questão em espelha sua política em todos os outros meios também.
Achei interssante quando foi citado que o fato mereceu apenas alguma linhas, afinal ngm se lembra mais. Isso me faz pensar que daqui um ano, coisas como o caso Sarney tb não serão lembrados perante às urnas.

Curti muito aqui.

beijos

Erick Amirat disse...

Lamentável a política brasileira !!!! Cada vez mais me sinto enojado das pessoas que comandam (e desmandam) essa nação. Qual será o próximo escândalo? O superfaturamento dos estádios pra Copa 2014 ??? Esse ainda tá longe .... Mas que vai acontecer todo mundo sabe !!! Aguardem ...

O último que apague a luz !!!!

felipeberanger disse...

Realmente lamentável, pois esse tipo de impunidade não se aplica apenas ao futebol e arbitragem, mas às leis brasileiras como um todo.
Provavelmente mais coisas estão debaixo do pano, e acredito que não apenas no futebol brasileiro,mas sim mundial e tb nos esportes em geral. Diversos interesses estão em jogo, desde patrocinadores, dirigentes, apostadores e um monte de outras coisas envolvidas, nesse caso o dinheiro dita as regras e ganha quem consegue ser mais filho da puta

Luilton disse...

Vergonha.
E essa maldita certeza da impunidade faz com que saibamos que ainda estamos apenas no começo.

Bruno Ribeiro disse...

Muito Revoltante ler materias como essa. A certeza da impunidade e as falcatroas que rondam o nosso futebol chegam a desanimar. Tanto o esporte quanto outras areas são tratadas de forma que pilantras se sobressaiam.

gerson disse...

E tem gente que diz que a arbitragem no Brasil é séria. Seria muita ingenuidade que a corrupção campeia no país e o único setor incorruptível é o da arbitragem.
Quanto à punição desse pessoal, sinceramente, era o de menos depois do que o STJD fez, chegando ao absurdo de anular jogos em que a vítima foi prejudicada(caso explícito do Figueirense)