23.8.09

Escrevendo certo por linhas tortas?

Imagine-se como um jogador de futebol profissional brasileiro. Além de fazer sua vida financeira, seu objetivo é jogar pela Seleção. Para isso, é preciso manter um bom trabalho, se destacar no Brasil – e na maioria das vezes, na Europa – manter uma regularidade para assim, ganhar uma chance de ser convocado. Mesmo com uma base montada, o técnico sempre tem posições em que ele tem dúvida e experimenta atletas. No caso de Dunga, a lateral-esquerda e a reserva do ataque titular ainda dão nós em sua cabeça.

Com Luis Fabiano em ótima fase e Robinho mantido em nome da “base" – mesmo jogando futebol medíocre há tempos – muitos já foram testados, como Pato, Vágner Love e até mesmo Diego Tardelli, em ótima temporada pelo Atlético/MG. Mas ao convocar Adriano, eu penso que Dunga cometeu uma grande injustiça ao deixar Grafite de fora da lista para os jogos diante de Chile e Argentina. Há pouco mais de três meses, Adriano rescindia contrato com a Inter para “repensar a carreira” e ficar mais perto da família, um direito inalienável do atacante. Mesmo com potencial inegável para integrar o Brasil quando em nível bom e regular, a atitude que tomou deveria deixá-lo um tempo fora das convocatórias, até que sua situação – e principalmente seu emocional – se estabilizassem. Além do mais, deveria jogar bem.

Com todo o carinho, regalias e deslizadas em seu comportamento como profissional, Adriano fez boas partidas pelo Flamengo e atingiu o topo da artilharia do Brasileirão, com 10 gols. Só que o seu “concorrente direto” Grafite foi um dos pilares do então modesto Wolfsburg para a conquista de sua primeira Bundesliga. Artilheiro e melhor jogador do campeonato, manteve-se regular durante toda a última temporada. Feitos que mereceriam, ao menos, uma lembrança em uma das listas de Dunga, a exemplo do que já havia acontecido com Tardelli. “Não é preciso falar da qualidade do Adriano. Tivemos de esperar pela recuperação dele, pela sua resposta. Foi um período sem treinos e jogos, por isso não poderíamos convocá-lo. Quando ele superou o momento difícil fora de campo e voltou a corresponder, decidimos chamá-lo. O Adriano está mostrando no Brasileirão que tem potencial para contribuir com a seleção. Ele recuperou a alegria, por isso foi chamado”, afirmou Dunga.

A novela de Grafite na Seleção lembra um pouco a de Amauri, sempre lembrado pelos comentaristas e até cogitado por Dunga, mas nunca convocado. O fato da indecisão em defender a Itália pesava contra ele. Com um Grafite mais focado e em melhor nível que o jogador da Juventus atualmente, a frustração do atacante foi inevitável. “Para ser sincero já não fico mais contando com isso como ficava antes. Fiz uma excelente temporada aqui na Alemanha. Ganhei todos os prêmios, bati recordes, fui campeão e artilheiro e não fui chamado. A Seleção Brasileira está muito bem servida de atacantes. Vou continuar trabalhando da mesma maneira”, afirmou ao Globoesporte.com.

Adriano é um jogador tarimbado no Brasil em relação a Grafite – que atuou com a amarelinha apenas uma vez, durante a despedida de Romário da Seleção contra a Guatemala, em 2005 – mas nesse caso, o trabalho do atacante foi desvalorizado em nome de um jogador que recuperou a “alegria de jogar” recentemente. Ou cadeira cativa, da qual sou radicalmente contra em se tratando de Seleção Brasileira.

5 comentários:

Daniel Silva disse...

Concordo, cara. O Dunga não teve critério nessa convocação. Concovou o Afonso Alves (alguém lembra) por causa da artilharia do holandês, que não é parâmetro de avaliação de um jogador. O Grafite foi artilheiro do alemão, um dos quatro maiores campeonatos da europa, e nem é lembrado.

Vai entender...

Abraço

gerson disse...

Tardelli faz algumas boas partidas no Brasil e é convocado.
Adriano faz dez gols jogando pelo combalidade Fla e é convocado.
Grafitte arrebenta na Alemanha e fica de fora.
Será que o Dunga criou "quotas" pra jogadores que atuam no Brasil? Isso deve agradar bem aos empresários desses jogadores.
Adriano, sem dúvida, foi convocado no carteiraço.

Saulo disse...

Uns dias atrás eu criei um post no meu blog sobre a não convocação do Grafite.

O Grafite tá arrebentando no campeonato alemão e o Dunga não chama para a seleção.

Arthur Kleiber disse...

Queria saber pq o Dunga convocou o Tardelli para o amistoso contra a distante Estonia... pq nao mante-lo na atual convocacao? sera que ele foi avaliado por ficar no banco contra a Estonia? cada vez mais surgem suspeitas sobre convocacoes pra valorizar jogadores... Faria mt mais sentido Tardelli do que Adriano

Vinicius Grissi disse...

Sou um dos grandes defensores da convocação do Grafite. Acho que falta marketing ao jogador. Ele joga em uma liga pouco vista e pouco falada. Mas o desempenho dele, realmente, é digno de no mínimo um teste entre os convocados.