10.8.09

Chega de saudade

“Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia”
(Tom Jobim e Vinícius de Moraes)

Em pouco mais de um mês, a realidade do Corinthians virou de pernas para o ar. De “melhor time do Brasil”, alcunha conquistada através dos bons jogos nas finais do Paulistão e na reta final da Copa do Brasil, o time virou uma “colcha de retalhos”. Mano amarga sua pior sequência à frente do time, em 19 meses de comando. São cinco jogos sem vencer, com apenas um gol marcado.

A torcida já vinha protestando desde a saída de parte da espinha dorsal da equipe que vinha fazendo sucesso. O corinthiano tem que se ater à realidade. Cristian, André Santos e Douglas não voltam mais. Além da importante saída deles e o fato de não existirem reservas à altura no elenco, o Corinthians vem sofrendo com diversas contusões: primeiro Ronaldo, depois Alessandro, Morais, Jorge Henrique e Souza.

Coma excessão de Cristian – que apesar de estar jogando muito, não existiam especulações sobre a sua saída – muitos desses jogadores desse elenco inevitavelmente iriam sair. Apesar da recuperação do Corinthians no futebol brasileiro, o clube ainda tem montanhas de dívidas e a maioria dos jogadores é “fatiada”, com muitos "donos" dos seus direitos federativos, o que por si só já traz amplo conflito de interesses. O São Paulo está se recuperando porque conseguiu manter seu forte elenco, após um primeiro semestre irregular, enquanto equipes como Palmeiras e Inter têm parceiros fortes que podem bancar alguns atletas, como foi o caso de Pierre, por exemplo.

Apesar de não concordar com o protesto da torcida sobre o “desmanche”, a diretoria do Timão comeu bola na hora de antever tais desfalques, no sentido de suprí-los. Além disso, Mano não foi feliz ao trazer a maioria dos desconhecidos reforços deste ano, além de jogadores que deveriam vingar e não funcionam, como é o caso de Souza. Só que o treinador, quando montou a equipe em 2008, trouxe jogadores que não eram consagrados até então, como Elias, Chicão, André Santos, Cristian. "Talvez a gente esteja um pouco lento na remontagem. Temos que mostrar para o torcedor e para o grupo que estamos trabalhando. Isso certamente vai reanimá-los e irá devolver a confiança para brigarmos por resultados melhores. O que peço é que o torcedor confie na gente porque sabemos como fazer bem feito para estar bem preparado para 2010", disse o técnico ao UOL Esportes.

A situação é delicada, porque o time acostumou a torcida com vitórias e títulos no último ano e meio. É hora de ter calma e pensar o time para esse Brasileiro sim, já que fica muito difícil montar uma base toda em pleno 2010, ano do centenário do clube. A razão tem que se sobrepor a obsessão da torcida. E a torcida tem que ter a consciência que pressionando o time de uma forma exagerada, influencia direta e negativamente, como já vimos em outras oportunidades.

Um comentário:

gerson disse...

André, infelizmente o torcedor tem q ser realista. Um time endividado, qdo consegue boa projeção e valoriza seus jogadores tem q vender pra arrumar a casa.E pra quem estava na série B a vaga na Libertadores já valeu o ano. Não se consegue tudo de uma vez só.
A maior burrice que pode ser cometida é a pressão aumentar e a diretoria resolver jogar pra torcida, demitindo treinador, etc. tem q ter cabeça fria e se não for bem no brasileiro azar. Tem q montar o time para o ano que vem.
A propósito, algum de vcs tá acompanhando o Guará na série C?
Abraço!