13.9.08

Especial Champions League 2008/09 - Grupo E

Manchester United
Hegemonia vermelha?

Mesmo numa final parelha decidida nos pênaltis contra o rival Chelsea, a conquista da terceira taça continental pelo United foi incontestável pela performance e pelos momentos de bom futebol apresentados durante toda a temporada de 2007/08. Créditos para Sir Alex Ferguson, que contratou bem e conseguiu suprir as necessidades da equipe, quando esta foi derrotada impiedosamente pelo Milan de Kaká, o qual atravessava grande momento nas partidas semifinais de 2006/07, assim como em toda aquela temporada.

E assim como o Milan teve Kaká como o principal nome daquela temporada vitoriosa do Milan, os Red Devils têm um expoente máximo, mesmo dentro de um time tão equilibrado: Cristiano Ronaldo, que já foi eleito o melhor da Europa na última temporada e tem tudo para abocanhar também o prêmio de melhor do mundo concedido pela FIFA. Em relação aos reforços, apenas um - muito bom por sinal: Dmitar Berbatov, destaque búlgaro do Tottenham, trazido a peso de ouro para ser o matador que faltava a este time, que ainda sente falta de uma referência à frente desde a saída de Nistelrooy. Ainda falta ao Man United um bom lateral-direito, setor onde os esforçados, porém limitados, Brown e O’Shea quebram um galho. A perda de Silvestre (Arsenal) e Piqué (Barcelona) deixa ainda mais órfã a excelente defesa composta por Ferdinand e Vidic – uma das melhores da Europa na atualidade – já que as opções de banco para a posição são escassas.

A segurança de Van der Sar; a solidez de Ferdinand e Vidic; os avanços incisivos de Evra; a variabilidade do meio-campo com Hargreaves, Scholes, Fletcher e Anderson; a velocidade e habilidade de chegada ao ataque de Ronaldo e Nani mais a experiência de Giggs, e com a conclusão competente de Rooney, Berbatov e Tevez. Ferguson tem muitas opções de montar o time de acordo com o adversário. E uma equipe tão versátil e qualificada tem tudo para manter a Europa pintada de vermelho.

Manchester United Football Club
Status: Favorito ao título
Melhor participação na UCL: Tricampeão - 1967/68, 1998/99 e 2007/08
Ele é o cara: Cotado para ser o melhor do mundo, Cristiano Ronaldo deixa de lado sua frustração por não ter se transferido ao Real para tentar fazer outra ótima temporada nos Red Devils. Além da dinâmica que ele dá ao time, foi o grande homem-gol da equipe em 2007/08, com 42 gols em 48 jogos.
Olho Nele! Irmãos gêmeos e laterais das seleções brasileiras de base, Rafael e Fábio da Silva (direito e esquerdo, respectivamente) podem ganhar oportunidades nessa temporada. Inclusive Rafael já foi aproveitado por Ferguson no jogo contra o Newcastle válido pela Premier League, onde atuou bem no pouco tempo que esteve em campo
Tem brasuca aí? Rafael e Fábio (laterais), Anderson e Rodrigo Possebon (meias)
Pontos Fortes: Uma equipe balanceada: Bom goleiro, boa zaga e bom ataque. E as opções ofensivas se multiplicam com a aquisição de Berbatov.
Pontos Fracos: A falta de opções de defesa no banco de reservas pode comprometer o United, em meio a uma temporada tão longa e desgastante.

Villarreal
Submergindo novamente no cenário europeu


E de repente, surgia um surpreendente Villarreal na Champions League de 2005/06. Liderados pelo argentino Riquelme – em seu melhor momento na Europa – o clube villarrealense foi a grande sensação daquele ano, ao eliminar times do porte de Manchester United e Inter, parando apenas nas semi-finais e no pênalti perdido por Riquelme, até então o grande responsável por levar o Submarino Amarillo tão longe. Na temporada passada, o chileno Manuel Pellegrini mandou o instável Riquelme de volta ao Boca e conseguiu armar o time apostando em jovens valores como o meia chileno Matias Fernandez, o zagueiro uruguaio Diego Godín e o atacante italiano Giuseppe Rossi. E mesmo não conseguindo evitar o bicampeonato espanhol do Real Madrid, foi destaque ao terminar La Liga na segunda colocação, a dez pontos de vantagem do Barcelona e a 13 do Atlético de Madrid, chegando à fase de grupos diretamente, sem a necessidade de passar pela fase pré-eliminatória.

Liderados pelo hispano-brasileiro Marcos Senna, o Villarreal é mais consistente hoje do que há três temporadas atrás. A dependência de um único jogador – como era com Riquelme – não existe mais. A meia é recheada de opções, como os campeões europeus Senna, Cani e Cazorla, a juventude e dinâmica de Fernández mais a experiência do ótimo Robert Pires e a força do uruguaio Eguren. No ataque, uma boa mescla: toda a dinâmica do turco Nihat Kahveci – outro que se destacou na última Euro e foi artilheiro do time na última liga, com 18 gols – e o futebol crescente do bambino Rossi. As contratações do experiente meia argentino Ariel Ibagaza e do brasuca Edmílson trarão mais opções ao já qualificado meio-campo da equipe. O ataque também foi reforçado com Jozy Altidore – destaque estadunidense no último mundial sub-20 – mais o o experiente Llorente, aquisições essas que fortalecem a equipe, já que apenas o mexicano Guille Franco era insuficiente como opção ao ataque.

Em um grupo complicado pela presença do Celtic - exímio marcador, bom nos contra-ataques e bolas paradas – o Villarreal leva uma vantagem considerável sobre os Bhoys, num grupo onde a primeira vaga deve ser do Manchester United, por conta de sua maior ofensividade e por toda a sua força. Tropeços contra o fraco Aalborg ou êxitos contra o atual campeão serão fatores preponderantes para o êxito do Submarino Amarillo.

Villarreal Club de Fútbol
Status:
Fase final
Melhor participação na UCL: Semi-finais em 2005/06
Ele é o cara: Grande destaque turco na Euro 2008, Nihat também é um dos principais jogadores do Villarreal. Trata-se de um atacante de muita movimentação e que também marca muitos gols. Na última Liga Espanhola, foram 18.
Olho Nele! Revelação da seleção estadunidense do último mundial sub-20 ao lado de Freddy Adu, o atacante Jozy Altidore pode mostrar-se uma ótima opção quando Nihat e Rossi não puderem atuar.
Tem brasuca aí? Edmílson (zagueiro/volante) e Marcos Senna (volante)
Pontos Fortes: A moral alta dos campeões europeus Senna, Cani, Cazorla e Capdevilla é um fator a mais na boa equipe montada por Pellegrini
Pontos Fracos: O goleiro Viera não inspira tanta confiança e as laterais têm poucas opções.

Celtic
Afundando o submarino


Mesmo com o recente histórico de sempre complicar a vida do Manchester, este deverá ser o foco dos Bhoys: tirar o maior número de pontos do bom time de Villarreal e Manchester, além de detonar o fraco Aalborg. A alegria de ver o maior rival ser eliminado precocemente da Champions Leaguena incrível derrota do Rangers para o FCK Kaunas, da Lituânia – pode ser complementada com uma boa campanha nesta temporada.

Em relação à última temporada, contratações modestas e sem grande alarde. Na maior delas, o zagueiro central do Cardiff City Glenn Loovens se transferiu por £ 2,5 milhões. Além do holandês, o rodado atacante Giorgios Samaras (ex-Manchester City) chegou e já está atuando bem pelos Celts, marcando três gols nas quatro primeiras rodadas da Scottish Premier League. O jovem volante Marc Crosas (ex-Barcelona) também chegou para dar mais opções ao meio. A saída de Evander Sno ao Ajax não deve causar maiores impactos a equipe de Gordon Strachan, quem tem na bola aérea e na velocidade suas maiores armas. A aquisição do grego Samaras, mais a opção do grandalhão Vennegor of Hesselink são bons destinos para as mortais bolas erguidas por Shunsuke Nakamura, o astro da equipe. Responsável pela armação e certeiro nas bolas paradas, o japonês de 30 anos vai atingindo a maturidade que lhe dá cada vez mais experiência e tranqüilidade para orquestrar a equipe. Dele, sairão as principais jogadas do atual tricampeão escocês, cujo futebol pode ser suficiente (e eficiente) para roubar a vaga na fase final da competição caso o Villarreal durma no ponto.

The Celtic Football Club
Status:
Copa da UEFA
Melhor participação na UCL: Vice-campeão em 1970/71
Ele é o cara: Cotado para defender grandes clubes europeus, o goleirão Arthr Boruc segue por mais uma temporada no Celtic. Seguro, dá tranqüilidade à defesa e tem boa colocação e impulsão.
Olho Nele! O winger Aiden McGeady, 22, é a melhor opção de habilidade e velocidade de Strachan. Além dos bons atributos, ele é o grande garçom da equipe, tendo marcado sete gols e dado 19 assistências na temporada passada. Figurinha carimbada da seleção irlandesa desde 2004, já adquiriu alguma experiência internacional.
Tem brasuca aí? Nenhum
Pontos Fortes: Boruc é muito seguro; Tem no lateral Hinkel e no ponta McGeady boas opções de ataque pelos flancos, além das perigosas bolas de Nakamura que fortalecem o tradicional jogo aéreo da antiga escola britânica, característica na equipe.
Pontos Fracos: Zaga instável e poucas opções de velocidade no elenco para suprir uma eventual falta de McGeady.

Aalborg
Uma gelada para o campeão dinamarquês?


Vitórias contra o FC Modrica/BOS e o até então surpreendente Kaunas/LIT, além de uma participação modesta na temporada 1995/96, quando foi último colocado de seu grupo. Essa são as credenciais do Aalborg, que chega a sua segunda fase final sem grandes pretensões num grupo encardido. Em uma equipe sem muitas caras conhecidas dos aficcionados pelo futebol europeu, destacam-se apenas dois: o winger sul-africano Siyabonga Nomvethe, que já defendeu a seleção Bafana-Bafana na Copa do Mundo de 2002, com passagens pelo futebol italiano (Empoli e Udinese) e que está na equipe desde 2006, além do atacante Saganowski, cujos direitos federativos ainda pertencem ao Southampton e recentemente esteve com o grupo polonês na disputa da Euro 2008.

Lutando para não ser massacrado, tem suas esperanças de gol no dinamarquês Jeppe Curth, último artilheiro da Danish League com 17 gols. A exemplo de Anorthosis e BATE Borisov, o Aalborg é franco-atirador e qualquer pontinho roubado dos grandes será motivo de comemoração.

Aalborg Boldspilklub
Status: Azarão
Melhor participação na UCL: Fase de Grupos em 1995/96
Ele é o cara: Visando reforçar o ataque do AaB, Marek Saganowski chega com a bagagem de uma Eurocopa nas costas, algo importante para uma equipe sem experiências européias.
Olho Nele! O volante e capitão do time Thomas Augustinussen tenta brilhar fora da Escandinávia. No alto de seu 1m92cm, já foi atacante nas seleções de base dinamarquesas, mas achou sua posição ideal jogando mais na marcação e vindo de trás.
Tem brasuca aí? Cacá (meia)
Pontos Fortes: O ataque se fortaleceu com a chegada de Saganowski, além da força de Augustinussen.
Pontos Fracos: Poucos jogadores do elenco são de fora da Escandinávia. Isso influi mais ainda na inexperiência da equipe na Champions.

LEIA MAIS:

Champions League 2008/09 - Grupo D

Champions League 2008/09 - Grupo C
Champions League 2008/09 - Grupo B
Champions League 2008/09 - Grupo A

4 comentários:

Felipe Moraes disse...

André, valeu pelos previews! To tendo pouco tempo de ver os noticiários e desinformado sobre os times.

O Manchester pra mim é favorito.

Abraço,
Felipe Moraes

sobreofutebolcarioca disse...

eu TORÇO pro MANCHESTER UNITED.

É O TIME QUE EU GOSTO NA INGLATERRA.

Arthur Virgílio disse...

Finalmente um time sem brasileiros. O Celtic.

gerson disse...

o manchester deve patrolar neste grupo. mas o villareal deve passar bem tb.