22.2.09

Futebol MTViano

POR VERÔNICA LIMA
TextoSemPonto - http://www.textosemponto.blogspot.com/

A discussão da 'gostosa-ex-miss' e os comentaristas 'fim-de-carreira' me irritaram. Mudei de canal pra ver como outros noticiários esportivos tinham tratado do "assunto". E vi um Globo Esporte meio 'MTV' demais, apresentado num formato 'descolado', que já estava sendo experimentado por Tadeu Schmidt. O jornalista apresentador, que poderia ser um VJ qualquer de um canal juvenil, é Tiago Leifert, vindo da SporTV.

Não pesquisei nada sobre o cara, não tenho nada contra ou a favor dele (a não ser o fato de que tentei entrar no blog dele e é só pra convidados - se é pra ser assim, faz newsletter, não blog, pô), mas me preocupa o modelo de jornalismo que vem se consagrando na cobertura de esportes. Uma coisa é fazer um jornalismo 'leve', outra é a superficialidade, a futilidade. É isso que algumas matérias desse novo formato me transmitiram.

Fazer piadinhas com o mau humor do Muricy? Até pode ser legal. Mas, pra mim, que não tinha assistido ao jogo, os comentários da Renata Fan foram muito mais proveitosos que as firulas do Leifert. A Globo quis inovar o formato porque os telespectadores paulistas estavam de saco cheio: o noticiário estava perdendo pro Chaves, no SBT. E tenho lá minhas dúvidas se o público vai gostar ou achar o cara um mala.

Talvez o mau humor do Muricy venha um pouco disto: com a derrota, ele já sabia quais perguntas seriam feitas, quais os comentários. Tudo muito juvenil. Como quem fica sacaneando o amigo quando vence uma partida no video-game. Mas futebol é coisa séria. Pelo menos deveria ser. Tenho medo de reduzirmos um esporte que já foi comparado à arte a apenas comentários em tablóides, ferraris, gostosas, caras descolados. Enquanto isso, os cartolas enchem o bolso.Se eu fosse o Muricy, nem ia na coletiva. Não adianta ser grosso com a molecadinha.

4 comentários:

Alexandre disse...

Concordo com muitos pontos do texto. EX: jornalismo descolado, leve.

Agora, temos que dar um tempo ao Leifert. Ele é jovem, vai amadurecer. Mostrou ter condições.

Agora, a questão não é nem o jeito dele, mas o molde imposto pela globo, que acaba transformando os apresentadores.

Felipe Moraes disse...

Vi apenas o último quadro do programa. E, realmente, o novo formato não agradou nem um pouco...

Abraço,
Felipe Moraes

TAIS MOREIRA disse...

Gostei do seu blog, é muito legal ver blogs sobre esportes!^^
O meu tb é, se puder, dá uma passadinha lá, ok?^^

http://taiscristinasworld.blogspot.com

Beijos

Felipe Brisolla disse...

Então cara Verônica... Vamos consertar algumas coisas...

O Tiago Leifert é um jornalista com os novos moldes mídia televisiva, que busca fazer textos mais leves e menos "engessados" como o padrão Globo sugere... E o esporte é o lugar perfeito para isso... É um cara diferenciado, com extrema capacidade de conversar nos textos... Ou seja, alguém que a Globo colocou para realizar a tão esperada mudança de formato... Nesse quesito, acho que vai bem... muito bem...

Em relação a perda do Ibope, não foi por causa do Chaves que o GE mudou... Na verdade, quando a Globo decidiu "nacionalizar" o programa, com o novo estúdio e apresentação da Glenda e do Tino, todos os estados do Brasil responderam bem em relação a audiência... Menos São Paulo... Com menos matérias dos clubes daqui, o telelespectador paulista passou a assistir o programa da Renata Fan, já que eles passam quase 30 minutos falando só dos grandes da capital. Apenas por esse motivo houve a mudança. Tanto que o novo formato só existe em São Paulo...

Sobre o Muricy, a mídia tem mesmo é que bater nele, já que abusa de respostas ignorantes e falta com respeito com os profissionais... Respostas do tipo: "Vc nunca treinou um clube e portanto não me venha fazer perguntas cretinas..." são rotineiras... e os jornalistas não tem direito de resposta, já que o microfone passou...

Mas concordo que as vezes as matérias são superficiais... e as vezes nesses textos que buscam essa "poesia esportiva" faltam informações básicas sobre determinados fatos...

Ainda assim, aprovo o novo formato... Televisão tem que mudar... Só que na guerra do IBOPE, a Renata Fan continua muito bem, obrigado...