3.11.08

Crise financeira?



O noticiário das últimas semanas foi inundado pela crise financeira internacional. A crise nas bolsas de valores, a subida do dólar, a quebradeira de bancos pelo mundo afora, bancos centrais socorrendo instituições financeiras em dificuldades. Enfim, todo o mercado está reticente quanto aos novos investimentos, grandes eventos esportivos estão correndo riscos, como a Olimpíada de Londres, em 2012.

Mas eis que um clube inglês anuncia um substancial aumento de salário para seu jogador. Estou falando do Manchester United, e o craque em questão é o português Cristiano Ronaldo. O jornal espanhol “As” divulgou que o clube pretende oferecer um novo contrato ao jogador, cujo salário chegaria a 200 mil euros semanais, o que daria aproximadamente R$ 540 mil, ou R$ 28 milhões anuais. Isso porque a AIG, uma das principais seguradoras do mundo e patrocinadora de camisa do clube, está diretamente envolvida na quebradeira mundial por causa da crise.

Até quando os clubes vão pagar esses salários aos seus jogadores? Esse tema já é batido, mas fiquei impressionado com os valores. É absurdo! Se o futebol movimenta todo esse dinheiro, é certo que os atletas recebam a sua parte. É totalmente justo. Mas é preciso haver algum controle, teto, alguma normatização.

Com a economia globalizada e com os clubes tendo suas ações negociadas nas bolsas de valores, não ficaria surpreendido com a notícia de quebra de algum desses gigantes. E aí, o que irá acontecer? Será que os governos iriam socorrer as equipes, da mesma forma que estão fazendo com os bancos? Qual seria o destino dos jogadores? E os torcedores? Pensa na situação, por mais bizarra que seja: os torcedores teriam de mudar de time, simplesmente porque o seu clube faliu e os jogadores foram vendidos para poder pagar os credores. Alguém imaginou que os bancos poderiam quebrar?

6 comentários:

carlos pizzatto disse...

O futebol é maior que qualquer crise.

Felipe Brisolla disse...

Também sou contra essa supervalorização dos atletas.. acho que esses aumentos só prejudicam os times...

Mas fazer o que?

Saulo disse...

Belo post. Eu sei que o futebol é o trabalho dos jogadores e merecem um bom salário, mas esses salários milionários eu não concordo. Eu acho que só prejudica os clubes. Existe determinados salários que são absurdos.
Realmente precisa ter algum controle com relação a isso. Ainda mais nessa crise que vivemos atualmente.

Flávio Benvenuto disse...

Os salários no mundo do futebol são realmente absurdos. Cada dia nos surpreendemos com notícias como esta. No futebol inglês vem se tornando acad vez mais frequentes, já que bilionários do mundo árabe resolveram brincar de "administrar" clubes, talvez em uma tentativa de "justificar" com notas fiscais os gastos das suas astronômicas fotunas.
Acho que os jogadores deveriam ter um teto sim, mas enquanto os clubes lucram valores suficientes para pagar tais quantias, esses valores também devem ser repassados aos atletas, já que estes são os principais responsáveis por esses lucros. Claro que o memso não vale para times que estão à míngua e colocam em folha o que jamais podem cumprir.

André Augusto disse...

Infelizmente, é o capitalismo. lei de oferta e da procura. Se o Manchester não dá, vem um Real da vida e dá.

O West Ham atravessa crise, já que seu patrocinador - a XL investidora - quebrou com a crise. Fora isso, o dono dos caras é islandês e a crise ferrou todos os bancos do país, uma espécie de paraíso bancário.

Mas deveria haver mecanismos rigorosos dos controles financeiros do clube por parte da FIFA.

Erick Amirat disse...

Eu acho que os clubes de futebol ainda não estão muito preocupados com a dimensão dessa crise mundial. Fatos como esse narrado pelo Arthur me fazem questionar da onde vêm tanto dinheiro pra isso. Tenho medo de que quando os clubes europeus caírem na realidade e verem que os fartos lucros não serão mais tão fartos, seja tarde demais. É um assunto bem interessante e que merece a nossa atenção.