13.5.08

Brasileirão 2008 - Parte IV - Final

Palmeiras
Alguém segura?


Com muito investimento e um título paulista incontestável, a torcida do Verdão sabe que esse é o momento do time vencer um grande torneio. O alviverde é favorito porque tem um elenco de muita qualidade, porque se entrosou rápido e recuperou a falta de estima perdida nos últimos anos, porque tem um grande investidor capaz de anunciar grandes nomes, porque não tem outro torneio para se preocupar além do brasileiro e, principalmente, porque todos estes fatores serão gerenciados pelo treinador mais vencedor do Brasil nas últimas duas décadas. O único fator que tira esse caneco do Palmeiras é o próprio Wanderley Luxemburgo, caso apronte mais daqueles episódios nebulosos que cansamos de ver...

A leveza do time e capacidade de controlar a partida credenciam mais uma vez o comandante como um grande conhecedor de esquemas táticos.

Status: Favorito ao título
Time-base: Marcos; Élder Granja, Gustavo, Henrique e Leandro; Pierre (Martinez), Léo Lima, Diego Souza e Valdívia; Kléber e Alex Mineiro
Destaques: Valdívia, Marcos e Alex Mineiro

Olho Nele! Diego Souza. Com a grande quantidade de jogos, deve aparecer como o principal nome do time. Valdívia é bom jogador, mas os dribles, o carisma e o Marketing o colocam como mais maestro do que realmente é.
P
ontos Fortes: Muita qualidade nos passes e o bom número de jogadores com boa habilidade para driblar e correr são os maiores trunfos do verdão. Nenhum time no Brasil possui tantos jogadores com essas características.
Pontos Fracos: O excesso de exposiç
ão e a soberba de alguns jogadores podem atrapalhar durante o torneio. Nas bolas aéreas, a cobertura às vezes não acompanha quem vem de trás.

São Paulo
Busc
a pelo tri pode ser atrapalhada pela Libertadores

O time do Morumbi teria todas as condições de brigar contra outros favoritos para levar o título nacional. No entanto, a pressão pela conquista da América pode complicar o inédito tricampeonato. Em campo, o time ainda busca uma melhor forma de acertar a criação das jogadas. Sem um meia-atacante de ofício o time só conseguiria manter as atuações do final do ano passado com uma defesa muito sólida. Como isso não é possível, o time ficou totalmente dependente das jogadas aéreas. Resultado: Taticamente o time é previsível e não consegue manter uma regularidade no gramado, isso explica o excesso de vitórias magras em 2008. Mesmo assim, a força física e a experiência da maioria dos atletas faz a diferença em jogos decisivos, o que pode deixar sua torcida esperançosa caso as forças do elenco estejam voltadas para o Nacional.

Status: Favorito
Time-base: Rogério Ceni; Zé Luis (Rodrigo ou André Dia
s), Alex Silva e Miranda; Éder, Hernanes, Jorge Wágner, Éder Luis e Richarlyson; Borges (Dagoberto) e Adriano
Destaques: Adriano (Até o dia 30 de Junho), Miranda e Hernanes. (Rogér
io Ceni já não conta mais)
Olho Nele! Éder Luís. Titular de Muricy, o jogador vai
mostrar ao Brasil se é ou não capaz de ocupar um posto privilegiado no bicampeão brasileiro.
Ponto Forte: Mesmo sem o brilho do ano passado, a defesa tricolor ainda tem sido mais regular do que o ataque. Nas bolas aéreas e paradas, o time é muito forte e decide vários jogos dessa maneira.
Ponto Fraco: A falta de jogadas pelo meio e o avanço na Libertadores podem derrubar o clube no torneio. A saída de peças fundamentais como Hernanes, Alex Silva e Adriano também pode complicar. Ah, e antes que eu esqueça, o lateral-direito Éder é horroroso. O Opinião FC o acompanha de perto há algum tempo e já concluiu que se trata de um jogador limitadíssimo.

Santos
Para repetir 2002

Faz seis anos que Emerson Leão lançou para o Brasil um dos ca
mpeões brasileiros mais marcantes de todos os tempos. Agora, sem as mesmas jovens estrelas, Leão novamente tem em suas mãos um grupo esforçado e determinado a provar que é capaz de disputar títulos. A exemplo do São Paulo, o time pode ser prejudicado pela Libertadores. Mesmo assim, conhecendo Leão não é difícil imaginar que ele coloque o time para disputar os dois torneios para valer.

Mais uma vez, o treinador usa um esquema baseado na “Blitz”, marcando forte e forçando o erro do adversário. Com a presença de uma meia interessante e Kléber Pereira em grande fase, o Santos é o típico adversário chato de se enfrentar.

Status: Zona da Libertadores

Time-base: Fábio Costa; Betão, Fabão, Marcelo e Kléber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto, Adriano e Molina; Lima e Kléber Pereira
Destaque: Kléber Pereira, Molina e Kléber

Olho Nele! Lima. Com dois gols em dois jogos, o atacante pode surgir com o grande parceiro que Kléber Pereira precisava.
Pontos Fortes: A determinação de Leão e fato do elenco possuir um grande jogador para cada posição em campo. Fábio Costa no gol, Fabão na zaga, Kleber na lateral, Molina no meio e Kléber Pereira no ataque trazem equilíbrio ao peixe.
Ponto Fraco: Equilíbrio não significa regularidade durante a partida. Os altos e baixos de alguns jogadores complicam o peixe, principalmente, no setor defensivo.

Portuguesa
Hora de ficar na elite


Mais do que nunca, a Portuguesa terá que provar para si mesma
que é realmente um time digno de ser considerado um grande do futebol brasileiro. De volta á elite depois de um longo período, o clube conta com um elenco limitado para disputar a série A. Mesmo assim, o talento de Diogo e capacidade do treinador Vágner Benazzi podem fazer da Lusa uma das surpresas da competição. A experiência de jogadores como Chrystian e Patrício também podem ajudar. Certo mesmo, é que muita gente vai estar de olho no time do Canindé nesse campeonato. Seja pelo carisma do time ou pela vontade de levar Diogo embora do país.

Status: Candidato a habitar a Zona Morta, sem rebaixamento e sem Sul Americana.
Time base: André Luís; Patrício, Bruno Rodrigo, Marco Aurélio, Bruno Recife; Dias, Érick, Carlos Alberto e Preto; Diogo e Christian
Destaque: Diogo.
Craque do time e provável destaque do campeonato. É rápido, habilidoso e finaliza bem.
Olho Nele: Patrício. Tido como limitado por grande parte da crítica, pode ser peça fundamental no esquema de Benazzi. (já começou o campeonato com um gol e uma expulsão)
Ponto Forte: A dupla de ataque é formado por um jogador rápido e habilidoso e o típico homem de área. Por mais que o time tenha limitações na armação das jogadas, ambos devem dificultar a vida dos goleiros.
Ponto Fraco: O time é muito dependente dos homens de frente e pode se tornar previsível para os adversários. A ausência de um grande nome no meio de campo também pode atrapalhar.

Goiás
Objetivo: recuperar a honra perdida


O time de Goiânia é nada mais nada menos o quinto melhor do país na era dos pontos corridos, a frente de gigantes como Palmeiras, Corinthians, Flamengo, Vasco e tantos outros. Regular, o alviverde do serrado já foi apontado como exemplo de gestão e lisura em suas administrações. Mesmo assim, tudo isso faz parte do passado. Sem grandes nomes e dependente de um único jogador, o Goiás não dá sinais de que possa surpreender novamente. A pífia campanha no ano passado e as traumáticas derrotas na final do estadual e na Copa do Brasil podem fazer com que a equipe habite frequentemente a zona do rebaixamento. Com Paulo Baier no comando do time e o renovado treinador Osvaldo Alvarez, os atletas terão que jogar contra a desconfiança da torcida.

Status: Briga para não cair
Time Base: Harlei; Vítor, Ernando, Paulo Henrique e Fabinho; Amaral, Ramalho, Paulo Baier e Evandro; Alex Terra e Schwenck (Alex Dias)

Destaque: Paulo Baier
Olho Nele!
Evandro. O meio já teve presença constante em seleções juvenis e pode surgir como destaque do time. Com ele bem na partida, o time depende menos de Paulo Baier.

Ponto Forte:
O faro de gol de Paulo Baier. Pode ser de longe, de perto, de bola parada e até com o pé esquerdo. O ex-lateral direito sabe fazer mais gols do que muitos atacantes. E acreditem, é o maior artilheiro do Brasileiro por pontos corridos, a frente de matadores como Romário e Washington.

Pontos Fracos:
A instabilidade do time em momentos decisivos é desesperadora. A defesa não costuma segurar pressões por muito tempo e auto-estima dos jogadores está em queda livre.

2 comentários:

Net Esportes disse...

Acredito no tricolor do Morumbi !!

Sidarta disse...

A nação sãopaulina tem muita saudades do Danilo. Um meia faz muita falta mesmo.