26.7.07

O último dos americanos


Comemoração de gol venezuelano
Esta cena poderá se repetir na próxima Copa do Mundo?

Alguém em sã consciência seria capaz de apostar na classificação da Venezuela para a Copa do Mundo de 2010? Você confiaria nisso? Bom, eu sim...
Mas, afinal, porque bancar uma equipe que até o início da década de 90 era considerada o maior saco de pancadas do continente? Loucura? Falta de conhecimento?
Meu primeiro ponto de análise parte da obviedade: o gradual crescimento do futebol vinotinto, que diga-se de passagem foi o que mais evoluiu nos últimos anos. Boa parte desta evolução deve-se, contudo, a política de Chavez.
Graças ao incentivo governamental aos esportes nacionais, o futebol pôde se espalhar, cada vez mais, por todos os cantos da Venezuela. E convenhamos, após a organização desta Copa América, esta disseminação tem tudo para aumentar exponencialmente. Certamente a reforma realizada no país e a criação de estádios modernos serviu como fator motivacional para com a torcida venezuelana.
Mesmo assim alguns me questionarão: será que a Venezuela consegue ficar, ao menos, com a quinta posição das Eliminatórias? E antes que alguém me fale que em quinto a Venezuela disputaria uma vaga na repescagem, eu informo: na Oceania, o único time que vale a pena comentar é a Austrália, equipe que atualmente está filiada a Ásia, inclusive. Ou seja, se às regras se mantiverem fiéis, o quinto americano estará na Copa.
Excetuando Argentina, Brasil e Paraguai, todas as outras seleções encontram-se no mesmo nível técnico. Dos outros sete, talvez pela tradição e por alguns talentos individuais, apenas o Uruguai tenha maiores chances de beliscar uma vaga. O resto? Adversários fracos.
O Equador mostrou na Copa América que tem um time velho e em decadência, ou seja, dificilmente dará trabalho. A Colômbia apresenta atletas que são até habilidosos, porém, não sabe atuar em conjunto construindo uma equipe propriamente dita. O Chile chega com um time demasiadamente novo (base da seleção sub-20) e apesar de razoável, sentirá a ausência de um ponto de referência em campo. Já o Peru, depende demais dos seus destaques individuais (leia-se Guerrero, Farfán e Pizarro) e a própria história mostra que isso nunca leva a nada. A Bolívia é muito fraca, somente a altitude de La Paz não irá resolver...
E a Venezuela? O esquadrão vinotinto não é dos piores. Apresenta uma zaga firme, um meio-campo que tem qualidade tanto para marcar quanto para criar jogadas e Arango, experiente jogador que chama a responsabilidade para si. Só falta um goleiro que passe maior segurança e um matador nato.
Enfim, aposto na Venezuela porque acredito que hoje, o selecionado de Richard Páez já apresenta-se, no mínimo, como a quinta força da Conmebol. O time é coeso, tem bom conjunto e seus atletas estão em alta.
Logicamente, em 3 anos muita coisa mudará e o cenário pode representar algo totalmente diferente. Mas vale a pena lembrar, quando a Copa América de 1999 acabou, alguém acreditaria que o inexpressivo Equador atingiria duas Copas do Mundo consecutivas? Talvez o sonho da Venezuela, único páis da América do Sul que ainda não foi a uma Copa, não seja tão impossível assim...

4 comentários:

André Augusto disse...

Pode ser que vc tenha razão, mas eu ainda acho que a Venezuela terá de esperar mais um pouco para ir a uma Copa.
Mesmo com todos os problemas, pelo menos Uruguai e Colômbia são muito mais técnicos e tarimbados que os venezuelanos.
Mas é inegável dizer que a Venezuela evoluiu e muito no cenário das Américas.

gerson sicca disse...

Eu concordo com o André. Acho que a Venezuela ainda tem um caminho a percorrer. Precisa de mais tarimba. A eliminatória é longa e difícil. Classifica-se quem é melhor nos detalhes.
Mas tudo é possível. Quem sabe?

bruno telloli disse...

Fala galera do Opinião FC, passo aqui para divulgar o blog sobre a Major League Soccer. Passem por lá: http://mlsbrasil.blogspot.com

Abraços!

Arthur Kleiber disse...

Barretos, como vc falou, tirando Brasil, Argentina e Paraguai, todos os outros estão no mesmo nível, o que quer dizer que está tudo nivelado por baixo. Pensando dessa maneira é que podemos pensar na Venezuela na copa, e não por causa do seu futebol... não acredito que a Venezuela esteja melhor que as outras seleções... jogar uma competição em casa é sempre um fator de motivação, que faz o time se superar, como acho que foi o caso venezuelano