25.7.07

Novos Talentos

Consolo: Se a seleção principal não ganha nada, a seleção argentina sub-20 conquista seu sexto título na categoria.

Neste último domingo, terminou o Mundial sub-20, disputado no Canadá. Para os argentinos, vencer este campeonato, mesmo sendo um mundial de juniores, serve de consolo para a dor de perder a Copa América para o maior rival e ainda fica a esperança de que esta boa geração que está por vir possa render mais frutos que a atual. A defesa mostrou-se eficiente, pois sofreu apenas dois gols em sete jogos. Destaques para os defensores Matias Cahais, do Boca e Emiliano Insúa, do Liverpool. Na meia, a Argentina mostrou bons jogadores e de muita técnica, como é o caso de Ever Banega, titular e campeão da Libertadores com o Boca, Maximiliano Moralez, do Racing e os rápidos e ariscos Mauro Zárate, excelente driblador que já havia se destacado nos últimos anos pelo Vélez e o capitão e mais “experiente” da equipe, Sergio Agüero. O jogador do Atlético de Madrid foi artilheiro com seis gols e eleito pela FIFA como o melhor jogador do Mundial.

Ainda sobre as seleções sul-americanas, destaque para a terceira colocação dos chilenos, do excelente goleiro Christopher Toselli, do polivalente lateral Maurício Isla, muito voluntarioso no ataque, do volante Arturo Vidal, muito bom na saída de bola e no desarme (recentemente vendido ao Bayer Leverkusen) e do arisco meia Mathias Vidangossy, com marra a la Valdívia e muita técnica. Sobre o Brasil, nem precisa falar né? É só dar uma olhadinha no post anterior e tentar entender o dramalhão que Nélson Rodrigues fez com a Seleção.

Pelos europeus, excelente vice-campeonato da compacta República Tcheca. A forte marcação e o faro de gol da dupla Martin Fenin e Lubos Kalouda (três gols cada) contribuíram para a boa campanha dos tchecos. Outra boa surpresa foi a Áustria. Sumida do cenário do futebol há tempos – tanto que a última participação deles na Copa do Mundo foi em 1998, aquela do velho centroavante Poulster - a equipe do técnico Paul Gludovatz garantiu o quarto lugar. Essa nova geração traz esperança para uma boa campanha na Eurocopa 2008, onde a Áustria sediará o evento em parceria com os suíços. O bom time da Espanha ficou pelas quartas-de-final do torneio, mas bons valores como o zagueiro Gerard Pique, o rápido meia-esquerda Diego Capel e o vice-artilheiro do Mundial com cinco gols Adrian López saem bem cotados, além de terem sido os algozes da precoce eliminação brasileira do Mundial. O meia Dawid Janczyk, da Polônia é outro que se deu bem nesse Mundial.

Para finalizar, não poderia deixar de fora o “eterno” Freddy Adu, que segundo brinca meu amigo Felipe Brisolla, “é o maior vendedor de sucrilhos da história dos Estados Unidos”. O ganês naturalizado norte-americano já foi comparado a Pelé por jornalistas mais afoitos, mas os três gols do meia no Mundial e a fluidez de jogo que ele dá a seleção do Tio Sam logo o credenciarão a ser titular absoluto da seleção principal. Em breve, suas boas partidas lhe proporcionarão a chance de atuar em times competitivos da Europa. Além de Adu, Josmer Altidore, com quatro gols (dois deles contra o Brasil), também merece destaque positivo.

Minha seleção desse sub-20, jogando no 4-3-3: Christopher Toselli (CHI); Maurício Isla (CHI), Matias Cahais (ARG), Gerard Pique (ESP) e Federico Fazio (ARG); Ever Banega (ARG), Arturo Vidal (CHI) e Maximiliano Moralez (ARG); Adrian Lopez (ESP), Freddy Adu (USA) e Sergio Agüero (ARG).

3 comentários:

MaxReinert disse...

Opa... não conhecia este espaço...
Muito bem escrito!!!
A equipe está de parabéns...!!

Sidarta disse...

Todo mundo saindo da América do Sul cada vez mais cedo.

Triste.

Abraços,

Thiago Barretos disse...

Grande post, André.
Quanto a seleção da competição, eu tenho uma troca argentina. Entre Insúa e Cahais, sou mais o primeiro. No resto, só sinto falta de Vidangossy e Kalouda, mas tudo bem. Vamo ver se essa garotada realmente vai estourar...
PS: Não existe "u" no nome do centroavante Polster
Abraço