2.7.07

Mais valia

O que é ser bom treinador? É ter a capacidade de formar esquadrões históricos e conquistar vários títulos? É montar boas equipes utilizando jogadores de qualidade discutível? É elaborar um esquema tático que favoreça os pontos fortes de seus atletas?
Afinal, o que faz a imprensa julgar um treinador como bom ou ruim? Experiência? Trabalhos bem-sucedidos? Títulos? Sinceramente, não sei. Não sei também, porque praticamente 80% da imprensa considera o mediano Paulo César Lopes de Gusmão, o popular PC Gusmão, um bom técnico. Isso, realmente eu não sei...
Após encerrar sua carreira como jogador, PC Gusmão tornou-se preparador de goleiros. A convite de Wanderley Luxemburgo virou seu auxiliar-técnico em meados de 2000. Depois disso, no Vasco, mesmo sem a experiência de ter dirigido um clube anterior, PC fora efetivado como treinador da equipe.
A partir daí, sua carreira deslanchou. PC Gusmão passou por Palmeiras, Cruzeiro (duas vezes), Botafogo, Flamengo, Cabofriense, Fluminense, São Caetano. Com exceção feita as campanhas realizadas no Cruzeiro (pela primeira vez) e no Botafogo, PC nunca realizou um excepcional trabalho.
Mesmo assim, a imprensa trata o técnico como se fosse um dos melhores do país. Ganhou fama de ser um grande estrategista, inteligente, enfim, virou o exemplo de técnico-revelação no país.
Na verdade, as coisas que mais chamam minha atenção em PC Gusmão são a sua língua afiada e sua prepotência. Brigas com dirigentes, desentendimento com atletas e declarações ofensivas são comuns em sua carreira. Além de tudo, PC tem o péssimo hábito de querer controlar a equipe como um manager, a exemplo do que faz seu mestre, Luxa. Certamente, falta cacife para isso.
A campanha do ex-treinador do Náutico no Brasileirão deste ano, mostra isso. Após oito jogos, o alvirrubro de Recife acumula apenas 5 pontos. Nesse trajeto, cinco derrotas, dois empates e apenas uma vitória. Como se isso já nao bastasse, o Náutico vive um verdadeiro caos. A cada semana que passa, mais atletas são contratados, para suprir a demanda que é dispensada. E que esta última demissão de Gusmão sirva como um momento de auto-reflexão. Será que esta não é a hora de deixar a arrogância de lado e começar tudo de novo. Por que, convenhamos, apesar das minhas críticas, acredito que PC tem potencial para realizar melhores campanhas.

3 comentários:

Arthur Virgílio disse...

PC Gusmão nos últimos anos foi um desastre. Ano passado conseguiu atingir a marca de 14 jogos sem vencer. Sua principal conquista como técnico é ter sido auxiliar de Vanderlei, nada mais.

Sidarta disse...

o carpegiani ganhou com o flamengo de zico, quem não ganharia com aquele time?

acho que é um pc gusmão que deu sorte.

Arthur Kleiber disse...

só posso dizer que o PC é uma grande brincadeira.... a única coisa de bom que eu vejo nele é que com certeza ele deve ter um excelente empresário.....
ainda lembro quando o corinthians da msi queria traze-lo, e só nao trouxe pq nao chegaram a um acordo salarial (detalhe: PC achava que a proposta nao era boa o suficiente)... só rindo mesmo....