4.7.07

Incógnitas nos Gunners

Eduardo é o primeiro reforço do Arsenal nesta temporada. Será ele capaz de suprir o vácuo deixado por Henry?

A saída de Henry para o Barcelona abriu um grande vácuo quanto as perspectivas do Arsenal na próxima temporada européia. O craque francês era mais que um bom jogador, era a alma da equipe de Highbury. Para o seu lugar, veio o "desconhecido" brasileiro naturalizado croata Eduardo da Silva, contratado junto ao Dínamo Zagreb por 7,5 milhões de libras. Mas de onde surgiu Eduardo?

Revelado pelo Nova Kennedy, o carioca Eduardo seguiu para Zagreb com apenas 15 anos, para jogar pelo Dínamo, uma das equipes grandes da Croácia. Ele chegou a voltar ao Rio em 1999 e jogou pelo Bangu por um ano, mas retornou ao país dos Balcãs. Visando mais experiência, o Dínamo o emprestou para a Inter Zaprešić, uma equipe de menor expressão no cenário croata, em 2002. Lá, Eduardo se destacou anotando dez gols e retornou novamente ao Dínamo, onde começaria a se destacar e fazer história. Foi bicampeão da liga croata (Prva HNL) em 2006 e 2007 sendo artilheiro em ambas (20 gols em 29 jogos em 2005/06 e 34 gols em 32 jogos em 2006/07), além de ter sido o jogador do ano na Croácia em 2004 e 2006. Todo o suporte dado nos Balcãs a Eduardo fez com que ele aceitasse se naturalizar e defender a seleção do país, em 2004. Ele estreou pelos vatrenis em novembro de 2004, contra a Irlanda. Mesmo se destacando, marcando muitos gols e defendendo a seleção croata desde o sub-21, Eduardo não foi convocado para a Copa pelo então técnico da Croácia na época, Zlatko Kranjčar. A não-convocação dele gerou muita contestação da imprensa local e a falta de gols na Copa (apenas dois em três jogos) fizeram com que os vatrenis caíssem ainda na primeira fase, perdendo a vaga nas oitavas para os estreantes australianos. Após a Copa, Eduardo voltou a ser figurinha certa nas convocações da seleção nas Eliminatórias da Eurocopa de 2008. Já vestiu a camisa quadriculada 14 vezes e marcou oito gols.

O currículo de Eduardo é bom, mesmo ele tendo se destacado na Croácia, uma liga de menor expressão na Europa. Mas o Arsenal precisa de muito mais. As indefinições na diretoria e na comissão técnica podem desfigurar o Arsenal na briga pela Premier League e pela Liga dos Campeões. As saídas de jogadores-chave sem reposição adequada ao longo dos últimos anos como Vieira, Pires e Henry e a incógnita dos jovens do elenco dos Gunners, como Fabregas, Van Persie, Walcott e Adebayor deixam pairar uma dúvida: Será que o Arsenal terá fôlego para acompanhar os estelares Manchester United e Chelsea?
Perfil

Nome: Eduardo Alves da Silva
Nascimento: 25 de fevereiro de 1983, no Rio de Janeiro
Clubes: Dínamo Zagreb (1998-1999 e 2001-2007), Bangu (1999-2000), Inter Zaprešić (2002-2003) e Arsenal (desde 2007)
Jogos pela seleção: 14 jogos e oito gols
Títulos: 2 ligas croatas, 1 Copa da Croácia e 3 Supercopas croatas
Duas vezes artilheiro da Liga Croata (2006 e 2007) e duas vezes eleito o melhor jogador croata do ano (2004 e 2006)

Abaixo, alguns dos gols do novo camisa nove do Arsenal.

4 comentários:

Arthur Virgílio disse...

Se ele não se naturalizasse croata o Dunga chamaria ele para a seleção. Nunca o vi atuar, assim como o Afonso, antes da seleção, por isso é uma incognita. Ainda acho que o Arsenal deveria manter o Julio Baptista.

Flávio Benvenuto disse...

Se o "craque" acima fosse chamado para a Seleção Brasileira iríamos estar criticando duramento... porque como diria um amigo meu: "jogou onde" esse rapaz, fez o que pelo futebol?. Ainda bem que se naturalizou croata. Esse é mais um desses Afonsos pernas de pau que estão espalhados por toda a Europa. Como disso o colega acima, certamnete, Dunga o chamaria, como chamou Afonso, Fernando, Vagner Lover...enfim!!!!! Muitos de nós, brasileiros, supervaloriazamos essas "porcarias" (nem sei se esse cara é uma dessas, segue uma interrogação ainda) só porque atuam na Europa... para alguns se tornou selo de qualidade!!!Pena!!!
Ahhh...e ao contrário do colega acima, acho que um dos grandes reforços do Arsenal para a próxima temporada foi a saída do Júlio Baptista.

Tuareg disse...

Grande promessa do futeobl croata. Pena não ter mantido a nacionalidade brasileira pois estaria a disputar a Copa América.
Parabéns pelo blog.

Abraço

http://perigonaarea.blogspot.com

Ruben Fontes Neto disse...

O croata(ou brasileiro...) é uma incógnita. Marcar 34 gols na liga croata é fácil, aindamais jogando pelo Dinamo Zagreb. Quero ver repetir tudo isso na Inglaterra. Se chegar aos 17 é muito.