12.12.09

Surpresa no topo

Ao fim da fase de grupos da Champions League, quase tivemos algumas zebras passeando. Mas no final, Rubin Kazan, Dínamo de Kiev e Unirea Urziceni não conseguiram vencer os favoritos Inter, Barcelona e Stuttgart, respectivamente. Já o Marseille não foi competente para eliminar o ascendente, porém ainda fragilizado Milan, ao desperdiçar uma cobrança de penalidade com o argentino Lucho González. A decepção é o Liverpool de Rafa Benítez, cada vez mais ameaçado no cargo. Porém a melhor equipe dessa fase é tão inesperada quanto a eliminação dos Reds: o Bordeaux, do treinador Laurent Blanc.

Os girondinos cravaram a melhor campanha com 16 pontos de 18 possíveis, com cinco vitórias e um empate em um grupo que possuía Bayern de Munique – que ficou com a segunda vaga do Grupo A, seis pontos atrás dos franceses -, a Juventus, que teve que se contentar com a Europe League e o Maccabi Haifa que foi mero turista e deixou a competição sem marcar um gol sequer nos seus seis jogos. A equipe francesa garantiu o primeiro lugar do grupo com uma rodada de antecipação, batendo a Juventus.

O maior mérito do atual campeão francês – quebrando uma sequência de sete títulos do Lyon -, que até aqui, vem sendo muito bem dirigido pelo ex-capitão dos Bleus, Laurent Blanc, é a coletividade. Mesmo tendo o jovem Gourcuff como referência técnica, a equipe como um todo foi capaz de levar a equipe à boa fase no torneio continental. O meia brasileiro Wendel é o grande faz-tudo do Bordeaux: defende, faz a transição ao ataque, é responsável pelas bolas paradas e anota seus gols. O camisa 17 é um dos campeões de assistência da fase de grupos, com quatro passes para gols. Fernando Menegazzo e Alou Diarra combatem no meio, com Gourcuff armando, auxiliado por Wendel. Na frente, quatro boas opções para composição no ataque: Chamakh, Cavenaghi, Jussiê e Bellion. Eventualmente, o tcheco Jarolsav Plasil pode compor o meio, com a equipe migrando para o 4-5-1 em lugar do usual 4-2-2-2.

Resta saber se no confronto das oitavas, o sorteio vai favorecer os girondinos para não pegar um favorito logo de cara, já que apesar da boa campanha, o Bordeaux ainda continua sendo zebra frente aos poderosos e estelares Barcelona, Real Madrid, Manchester United e Internzionale, por exemplo. Ainda assim, a boa campanha do Bordeaux é um alento para o futebol francês, que mesmo com um Lyon forte, não consegue figurar com destaque na Champions desde que o Monaco foi derrotado na final de 2003/04 para o Porto, do então treinador José Mourinho.

3 comentários:

Felipe Moraes disse...

Silenciosamente, torci pro Rubin Kazan, mesmo sendo interista...

Abraço,

Felipe Moraes

Lucas palmeirense da oposição disse...

oi! quer trocar de link cmg? espero sua resposta no meu blog

Vinicius Grissi disse...

De fato, o Bordeaux foi a grande sensação da primeira fase da Champions. Campanha surpreendente.

Começou hoje a eleição da Seleção Marcação Cerrada do Campeonato Brasileiro. Estamos escolhendo o melhor goleiro. Participe!