19.3.10

Agora quem dá a bola é o Santos

É de encher os olhos. De deixar o torcedor boquiaberto, extasiado, empolgado. O Santos, hoje, agrada qualquer amante do esporte. A alegria com que os atletas têm entrado em campo e partido atrás da bola surpreende torcida e adversários. Em meio a um futebol mecanizado, com jogadas muito quadradas, jogos decididos em bolas paradas e times muito defensivos, a equipe da baixada ressurge no cenário nacional brilhando nas quatro linhas.

Neymar, que no ano passado foi taxado de “promessa que não vingou” ou “Quase Novo Robinho”, demonstra mais maturidade nesta temporada. A expulsão diante do Palmeiras não diminui em nada o mérito que o jogador vem alcançando este ano com a pelota nos pés. Lógico que a habilidade dele é comparável com a de Robinho. Porém, assim como Kaká, que foi comparado a Raí no início de carreira e Ronaldo que foi comparado a Pelé, aos poucos ele criará identidade própria, se tornará referência e daqui uns anos irá aparecer um “Novo Neymar”...é natural!

André é outra peça importante. Um atacante jovem, matador e rápido. Fez a torcida esquecer Kléber Pereira rapidinho. Tem tudo para crescer e chegar a seleção, visto que a maioria dos centroavantes de peso beiram os 30 anos de idade.

Dorival Júnior tem nas mãos a chance de fazer o mesmo que Leão fez em 2002. Transformar uma equipe desacreditada de meninos em campões nacionais. Isso sem falar nos jogadores considerados “refugos”, que acabaram encontrando o futebol no peixe. Quem apostaria em Marquinhos antes do Paulistão? E em Arouca, que saiu de fininho do São Paulo? É inegável a qualidade de Robinho, mas todos sabem que ele veio da Europa após amargar péssimos momentos por lá.

Uma das marcas deste time são as comemorações de gol ensaiadas

É na ginga e no ritmo das comemorações de gols que o time embala as vitórias no Paulista e Copa do Brasil. Seria um páreo duro se estivesse na Libertadores e, se a base for mantida, deve ser candidato às primeiras posições do Brasileirão.

O Santos se encontrou! Mesmo sendo torcedor rival, tenho prazer em assistir os jogos do alvinegro praiano. Me encanto com um toque de letra de Robinho, um chapéu do Neymar ou com um gol oportunista do André. Futebol é eficiência e jogado com alegria e habilidade se torna um espetáculo!!

7 comentários:

Mira Melke disse...

Tá certo que o santos ta jogando super bem, mas eu peguei birra deles. rs (coisa de mulher..rs)
Nao gostei deles no jogo contra aquele time (niviraiense eu acho). Eles podiam mesmo ter marcado todos os 10 gols, mas eles humilharam o outro time, apesar do Tiago Leifer falar que não. Eu assisti um pedaço do jogo, a eles n foram nada legais com o outro time nas comemorações.
Adorei quando o palmeiras ganhou deles no domingo passado. foi muito o bom o jogo!! Pena que ele voltaram a ganhar... e fica td mundo enchendo a bola deles.

Alexandre disse...

Oi Mira, eu concordo que humilhar o adversário é algo complicado! Achei desnecessário o chapéu que o Neymar deu no Chicão no jogo contra o Corínthians, mas contra o Naviraiense o time simplesmente demonstrou toda sua superioridade. Se todos os times grandes de impuzessem desta forma diante dos pequenos muitas críticas seriam rebatidas. O São Paulo poderia ter feito muito mais gols no Nacional-PAR mas optou por tocar de lado e deixar o tempo passar! Os dez gols foram consequência! Quanto a comemorações aí é discutível....

André Augusto disse...

O mais completo do time é o menos badalado: Ganso.

O Santos joga um futebol bonito e diferente do que se vê por aí. Mas o que tem de ótimo no ataque, tem de péssimo na defesa. E com a excessiva competitividade que existe no futebol hoje, não se ganha apenas com bons atacantes. Por isso, acho que o Santos tem que evoluir muito para aí sim, ser exaltado.

Exemplo que alia equilíbrio, futebol bonito e resultados é o próprio Barcelona. Que tem Messi badaladíssimo (e que tem a cabeça no lugar) e um time de jogadores técnicos e comprometidos.

Vício em Futebol disse...

Sou apaixonado por futebol e lógico adoro ver esse time jogar, agora eu acho que com esse time apesar de talentosíssimo não dá para ir longe com Arouca como primeiro volante (não o acho grande coisa mas não serve para perna de pau e o principal para mim, ele NÃO É PRIMEIRO VOLANTE)e a zaga não me inspira confiança nenhuma, Edu Dracena e Durval, são bons no alto, mas são lentos e tem dificuldade contra jogadores rápidos. Lembrem que em 2002 o Santos tinha Paulo Almeida que não passava do meio e Renato um ótimo marcador também para deixarem Elano (que também tem a característica de marcação), Diego e principalmente Robinho fazerem a festa com as suas diabruras e pedaladas, e na zaga Alex era senhor absoluto.

É minha opinião,concordo com a opinião sobre André acho que tem muito futuro mesmo, mas o que será desse time quando Robinho for embora no meio do ano, terá a mesma personalidade?

C.Jordão disse...

cara não gosto deste time do santos pq, eles si acha o time gosta de brica com outro jogadores si não é bom..

carlos jordão

Felipe Brisolla disse...

Também gosto de ver o Santos jogar... E nem acho que o elenco é tão diferente assim do de 2002. Naquela época o primeiro volante era o Paulo Almeida. Eu prefiro o Arouca. Na zaga tinha o André Luis... Enfim, talvez a grande diferença esteja nas laterais... Maurinho e Léo (novinho em folha!) eram melhores que Pará e o Léo velho...

gerson disse...

O Ganso joga muito mesmo André.
é bonito ver um time como o Santos, jogando fácil, ainda mais depois de um brasileirão pobre como o do ano passado.