28.3.09

Pastelão paranaense

O futebol brasileiro sempre foi “criativo”, no que diz respeito a formulação de regulamentos para os campeonatos. Tanto pela inventividade quanto nas manobras para beneficiar os grandes. Milhares de turnos, cruzamentos esdrúxulos e combinações improváveis eram vistas desde o Campeonato Brasileiro até os estaduais diversos. Quem não se lembra da polêmica do Campeonato Brasileiro de 1987, na queda de braço entre o Clube dos 13 e a CBF? Ou a Copa João Havelange, concebida para fugir da decisão judicial que ordenava o Gama na 1ª divisão do futebol nacional? Além de não conseguir barrar o time candango, os playoffs finais reuniam times da primeira, segunda e terceira divisões na disputa pelo título, que quase sagrou o São Caetano - da terceirona - campeão nacional.

Em novos tempos de pontos corridos, os estaduais ainda estão aí para desafiar a capacidade de interpretação de cartolas, jogadores e torcedores em relação aos regulamentos. Posto isso, em pleno 2009, os cartolas do Campeonato Paranaense pareciam com pressa de redigir o regulamento para o certame deste ano. Apresentado em novembro do ano passado, o campeonato definia a classificação de oito das 15 agremiações participantes para a segunda fase, onde a equipe que somasse mais pontos nessa fase final seria declarada campeã paranaense. E mais. Primeiro e segundo colocados da primeira fase entrariam com pontos extras na fase final – dois e um, respectivamente.

Mas o pior estava por vir. Era o regulamento dos mandos de campo da segunda fase. Como seriam necessárias sete rodadas para se conhecer o campeão, os dirigentes pensaram em dar um mando a mais para os quatro melhores da primeira fase, onde elas jogariam quatro jogos em casa e três fora, ordem que se inverteria aos quatro últimos classificados ao octogonal. Pensaram, mas no papel a história era outra (regulamento na íntegra, aqui):
Art. 9º - Na segunda fase do CAMPEONATO, as 8 (oito) EPD classificadas se enfrentam em turno único, com mando de campo da EPD que teve melhor classificação geral na fase anterior do CAMPEONATO.
Um bom interpretador de textos veria na revisão que o artigo nono daria o mando das sete partidas ao vencedor da primeira fase - no caso, foi o Atlético/PR. E os dirigentes do Furacão não hesitaram em procurar o STJD, mesmo com a FPF propondo aos clubes que acatassem a fórmula de quatro mandos aos melhores da primeira fase. No entanto, o maior beneficiado foi o único a se manter irredutível ao "remendo" no regulamento e chegou as vias de fato. Por oito votos a um, o STJD determinou que fosse cumprido o artigo nono e a FPF teve que rasgar o regulamento: mandos de acordo com a classificação, com o Atlético jogando toda a fase final em Curitiba e o Paranavaí, oitavo colocado, jogando fora de casa todo o octagonal.

Mesmo correto em procurar seus direitos, faltou bom senso a diretoria do Atlético, que ainda ironizou: "O que fica de lição é que um regulamento precisa ser bem redigido”, segundo informou Cosme Rímoli em seu blog. O presidente da FPF Hélio Cury - reeleito em 2008 - ainda tentou minimizar os estragos: "Muda muito pouco. Só essas equipes [Iraty, Cianorte e Paranavaí] perderam mandos”. Além de perder os mandos, a FPF ainda não se pronunciou quanto ao ressarcimento do prejuízo financeiro que essas equipes terão por conta da perda de renda nas bilheterias e eventuais custos com viagens.

Pra completar a lambança, a Federação remanejou os quatro jogos da primeira rodada para este domingo, sendo que três deles seriam em Curitiba e no mesmo horário, às 15:30hs , por conta da partida do Brasil nas Eliminatórias. A Secretaria de Segurança Pública teve de intervir para antecipar um jogo – por sorteio, Atlético x J. Malucelli – para as 20:30hs deste sábado, alegando não ter efetivo suficiente para as três partidas das equipes curitibanas. É ou não é o país (do futebol) da piada pronta, como diria José Simão?

3 comentários:

Arthur Kleiber disse...

Eh simplesmente lamentavel que esse tipo de coisas acontecem ate hj... simplesmente nao da pra acreditar... depois reclamam daqueles que pedem o fim dos estaduais

gerson disse...

Meu deus, o que é isso?
Cara, esses cartolas tem q ter algum problema. é inacreditável. é muita falta de senso prático e noção da realidade.
Abraço!

Acesse o Limpo no Lance e siga os posts que contam histórias dos 100 anos do Inter. Faltam poucos dias para o centenário!
Conto com tua visita

Vinicius Grissi disse...

Uma confusão completa!
Ainda mudaram o regulamento para dar seis mandos ao Coritiba, cinco ao terceiro colocado e assim por diante. Um dos times vai jogar apenas uma partida do octogonal em casa. Absurdo completo. Mais um regulamento descabido deste país.