15.3.09

Essencial

Duas coisas faltaram ao Chelsea da era Felipão: o faro de gol do atacante Drogba – vivia as turras com o brasileiro – que marcou três gols e foi titular nas seis partidas pós-Felipão e a versatilidade do meio-campo Essien. Sua volta aos campos, após seis meses se recuperando de uma contusão no joelho, não poderia acontecer da melhor forma: duas partidas - Juventus e Manchester City – e dois gols anotados.

Mesmo não tendo as características do meia goleador, o ganês desenvolve importante função no elenco dos Blues, trazendo o equilíbrio defensivo, iniciando a transição do ataque com qualidade e chegando como elemento surpresa vindo de trás, como nos gols que marcou em suas últimas aparições. Além da excelência na marcação e na boa transição ao ataque, também atua bem quando é utilizado como ala direito.Muito se fala em versatilidade dos volantes como chave para se montar um bom time no futebol moderno. Como o próprio São Paulo com Jean e Hernanes ou mesmo o Cruzeiro de Ramires. Jogadores com bom poder de marcação, excelente passe e ótimo arremate. Tanto que no caso de Hernanes e Ramires, chegam até a atuar mais como meias de ligação do que propriamente como volantes. Algo que falta na estática e engessada dupla de volantes de Gilberto Silva e Felipe Melo/Josué, com a qual Dunga simpatiza tanto.

Voltando a Essien, o ganês será um dos pilares do esquema de Hiddink no Chelsea junto a segurança de Cech, o toque refinado de Lampard e os gols de Drogba. Mesmo não apresentando um futebol vistoso, o Chelsea vai fazendo da eficiência sua marca registrada desde que a troca de técnicos aconteceu, já que nos sete jogos do Chelsea de Hiddink, os Blues não marcaram mais de dois gols por partida, mas contabilizam seis vitórias e um empate.

2 comentários:

Breiller disse...

Realmente, André, o Chelsea é um time muito eficaz. Conta com jogadores muito objetivos, principalmente os três que você citou aí - Drogba, Lampard e Essien - e o Ballack, que, apesar de não ser um poço de habilidade, cadencia e define um jogo como poucos.

Não vejo o Chelsea com muitas possibilidades de título inglês ou da UCL nessa temporada, mas, com Hiddink na 2009/2010, pode deixar de lado a fama de time de chegada, apenas, para se tornar um time campeão.

Rafael Igor disse...

Dá raiva a mim, fã de Felipão, ver o Chelsea melhorar seu rendimento.

Não acredito que os jogadores dos Blues estivessem contra Scolari. Com exceção de Drogba, claro.

E concordo com você, André, quanto à qualidade que Essien dá ao time. Mas somente isso aliado com a volta dos gols de Drogba não são motivos para a melhoria do Chelsea.

Deu pra notar que estou confuso em relação ao motivo da diferença de rendimento do Chelsea antes e após Felipão.

Vamos lá, Manchester United! Quero mais que o Chelsea se dê mal com todo seu imundo dinheiro. O mesmo desejo que eu tinha antes de Felipão ser o treinador dos Blues.


Abraço,


Rafael Igor
www.passesdeletra.blogspot.com