14.2.11

Um gênio e ídolo que deixa o futebol

Ronaldo leva os filhos para dizer adeus ao futebol

Ronaldo Nazário de Lima, o Fenômeno, anunciou nesta segunda-feira a sua aposentadoria do futebol. Segundo o agora ex-jogador, o corpo não aguenta mais as dores. O excesso de peso é outro problema que o acompanha já alguns anos e do qual ele não consegue se livrar. Simplesmente um gênio, um dos maiores de todos os tempos, tanto na bola quanto no carisma, Ronaldo deixa os campos, os torcedores e todos aqueles que gostam e apreciam o futebol mais tristes e órfãos de um grande craque.

Três vezes eleito o melhor do mundo e maior artilheiro da história das Copas com 15 gols, exemplo de superação, é desnecessário elencar aqui seus feitos e histórias durante sua carreira. Isso pode ser encontrado em qualquer lugar do Brasil e do mundo. Vou então dar a minha opinião sobre a despedida do craque.

Acredito que parou um pouco depois do que deveria. Já no ano passado já estava ficando claro que o atacante não conseguia manter o excelente nível - o que se espera de um dos maiores craques da história -, por causa dos problemas físicos. Acredito que não parou antes por causa da obsessão do Corinthians pela Libertadores. Acabou passando por uma situação que não precisava depois da eliminação do clube na competição deste ano pelo Tolima. Não que as críticas fossem injustas - ele não vinha jogando bem -, mas por sua história. Por isso que poderia ter parado antes.

Acabou juntando tudo o que precisava para ele parar. As dores insuportáveis, as longas viagens e concentrações, a falta de motivação, pelo futebol em si e pela eliminação e fim do sonho corintiano na Libertadores, o rótulo de responsável pela queda e a cobrança da torcida. É triste que saia num momento conturbado, por baixo. Talvez pudesse esperar o fim do Campeonato Paulista, esperar a poeira baixar para preparar um jogo oficial de despedida, ou até mesmo fazer o último gol. Mas também poderia ser pior. Sempre dizemos que um atleta deve parar por cima - mas, se isso não é possível, é melhor encerrar a carreira antes que piore.

Para nós fica, com toda a certeza, a tristeza pela aposentadoria de um grande ídolo! Ronaldo briga palmo a palmo com Zidane pelo posto de maior jogador que já vi jogar - e creio que essa é a opinião da maioria da minha "geração", nascida na década de 80. Um gênio que certamente deixa o futebol menos "bom" e mais brucutu. A um dos maiores da história, só nos resta dizer "obrigado Ronaldo!".

2 comentários:

Jefferson Pacaembu disse...

Romário tb entra na lista dos maiores jogadores de nossa "geração", mas acho que o Ronaldo realmente cheio mais longe que todos

Lucizano disse...

Dos que vi jogar, Ronaldo o melhor disparado. Zidane era talento e habilidade.

Messi talvez entre nessa lista, mas Gaúcho também prometia muito mais do que fez.

Abs

http://blogdolucizano.blogspot.com/