16.5.09

Sabatina fenomenal

Na tradicional Sabatina da Folha, Ronaldo ficou por quase duas horas na berlinda diante das perguntas de Juca Kfouri, Clóvis Rossi, Xico Sá e Mônica Bérgamo. E mostrou-se muito seguro de si, consciente nas perguntas relacionadas a diversos assuntos além de futebol e comedido nas questões pessoais, como no episódio com os travestis no Rio ou o polêmico comercial da Brahma, do qual é garoto propaganda há mais de 15 anos.

Questionado por jornalistas de diversas vertentes e com boas perguntas, Ronaldo teve sua postura muito elogiada por Juca Kfouri e Fábio Seixas. Principalmente pela segurança passada aos entrevistadores e ao publico presente na sabatina. E quem conhece a relevância de uma entrevista dessas – comparando com as previsíveis entrevistas globais, por exemplo – sabe que Ronaldo realmente foi questionado francamente sobre os mais variados assuntos, profissionais e particulares.

E dessa sabatina, as partes mais surpreendentes e relevantes foram as declarações do Fenômeno ao presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Apontado à época da eliminação da Copa de 2006 pelo presidente como um dos responsáveis pela eliminação diante da França, o atacante acusou a mudança de comportamento do dirigente no relacionamento entre os dois:
“Até 2006, eu tinha ótimo relacionamento com ele. Depois, acabei sem saber o que fiz para que ele deixasse de gostar de mim. Nós nos encontramos algumas vezes e ele foi frio comigo. Eu não tenho a menor ideia e também não faço questão de ter relacionamento com uma pessoa de duplo caráter. É muito fácil ele estar ali do lado quando ganha. Na hora que perde, é fácil você crucificar essa pessoa”.
Para alguns, a franqueza Ronaldo enterrou uma possível convocação imediata para os próximos jogos do Brasil, válidos pelas Eliminatórias e para a Copa das Confederações, em junho. E sobre a volta à Seleção, mostrou sensatez: “Eu acredito que agora ainda não tenho condição de jogar pela Seleção. Estou procurando o meu melhor condicionamento no Corinthians, estou melhorando a cada dia”. Admitindo pesar 93 kg atualmente, Ronaldo mal aguenta a maratona comum do futebol brasileiro de jogar domingo-quarta-domingo. Apesar da notória evolução técnica, ainda está muito limitado fisicamente.

As críticas a preparação brasileira pré-Copa em Weggis e a mágoa com o tratamento dado a ele por conta do episódio da convulsão antes da final da Copa de 1998 foram abordadas de frente por Ronaldo, que mostrou bom humor por diversos momentos em assuntos sobre corinthianismo, o presidente Lula e Romário, em uma passagem quando ainda era debutante no escrete canarinho, na Copa de 1994. Gosto do jogador que foge das respostas comum, que encaram o repórter olho no olho, como Ronaldo já havia feito à época do seu gol contra o Palmeiras, abordando a muvuca dentro de campo e a desorganização nos festejos pela conquista do Campeonato Paulista, dentro do Pacaembu. E foi franco ao abordar a sua relação com a Rede Globo, falando da “troca” entre ambos e da admiração dele pela emissora. Não se é certa ou errada, mas uma opinião de cunho totalmente pessoal e argumentada com clareza. Causou polêmica ao afirmar que prefere educar seu filho na Europa, o que tornaria Ronald mais "civilizado" do que se fosse criado no Brasil. Questionado por Rossi de ser esse um pensamento de cunho racista, cravou: "A gente tem que pensar nos filhos".

Apesar das muitas escorregadas fora das quatro linhas, no universo do futebol Ronaldo realmente se diferencia e essa sabatina me convenceu ainda mais disso. Mostrou um lado mais detalhista acerca de sua personalidade e a cada resposta, muita segurança, bom humor, jogo de cntura e humildade eram notados, mostrando que Ronaldo sabe se comunicar com clareza. E sabe usar desse artifício a seu favor. A comparação da volta de Adriano ao Flamengo com o ressurgimento do Ronaldo no Corinthians não cabe totalmente. Apesar das circunstâncias semelhantes, as cabeças são diferentes. Os pés no chão quanto a sua condição e importância no futebol, também. Naturalmente, mostrou com muita simplicidade o porquê da condição de grande ídolo do futebol brasileiro e mundial.

Para quem tiver paciência, a Sabatina de Ronaldo na íntegra (vídeo abaixo) ou por assuntos:

4 comentários:

David "Jericho" Pereira disse...

Boas, vim por este meio pedir-vos para que adicionassem o meu blog de futebol aos vossos links sff

http://portal-futebol.blogspot.com/

O nome do blog é Portal Futebol


Depois quando adicionarem comuniquem-no no nosso blog para que nós também vos adicionemos

Saudações!

Dassler Marques disse...

Oi André, tive a mesma impressão que você. Ronaldo é um alento para boleiros de discurso chato como Robinho e Ronaldinho. E que peito em afrontar o RT nesse momento!

Abraço

Felipe Moraes disse...

A Sabatina veio em bom momento.
E o legal em Ronaldo é que ele é sincero, autêntico. Não tem medo de falar o que pensa.

Abraço,
Felipe Moraes

Rafael Igor disse...

André,

Queria tanto ver o Ronaldo na seleção agora! Mas acho que depois dessa sabatina, o Ricardo Teixeira não deixará convocá-lo agora. Aliás, como Teixeira não sai da presidência da CBF, acho que não veremos mais Ronaldo na seleção. As palavras dele devem ter magoado o presidente da CBF, mas não vou entrar no mérito da questão.

Fora isso, concordo com você em relação às boas entrevistas de Ronaldo. É notório o quanto Ronaldo é uma pessoa inteligente. Alguns de seus erros poderiam ser evitados. Mas, acontecem.


Abraço,

Rafael Igor
www.passesdeletra.com