5.10.10

Mas quem é o Mainz?

Ainda é início de temporada no futebol europeu. Porém, dentre os campeonatos considerados "de ponta", somente duas equipes ainda sem mantém 100% nos torneios que disputam: o Porto (nada surpreendente) e o pequenino Mainz 05, prestes a quebrar o recorde de melhor início da história da Bundesliga. Com sete vitórias em sete jogos, os Die Nullfünfer (the O-Fives, ou os zero-cinco, em alemão, alusão ao nome e data de fundação da equipe, em 1905) igualaram a marca do Bayern de Munique, na temporada 1995/96 e do Kaiserslautern, na temporada 2001/02. Três pontos à frente do vice-líder Borussia Dortmund, a equipe terá a liderança garantida até o próximo dia 16 de outubro, já que o campeonato vai parar por conta dos jogos das Eliminatórias para a Eurocopa.

Porém, o Mainz - que tenta se consolidar na elite alemã - pode ser analisado por outra ótica do que uma simples surpresa que pode sucumbir ao longo do torneio. Nas últimas edições, a Bundesliga foi palco de grandes zebras, como o título alemão do Wolfsburg, em 2008/09, ou o pequeno Hoffenheim, campeão alemão do primeiro turno da mesma temporada em que a equipe de Grafite e Josué se sagrou campeã e que ficou distante das competições europeias das últimas duas temporadas por conta de contusões de seus atletas-chave no elenco.

E o grande responsável por levar a pequena equipe da cidade alemã de mesmo nome - conhecida por ter sido a cidade natal do "pai" da imprensa, Gutenberg - é o jovem técnico Thomas Tuchel, 37 anos. Apesar da exposição maciça pela campanha atual, o treinador já está no time desde o meio de 2009/10, onde foi alçado da equipe sub-19. E sob sua batuta, a equipe marcou sua melhor campanha na era profissional, ao chegar ao nono lugar. Para esta temporada, contratações modestas e empréstimos de jovens talentos sem chances em equipes maiores. É o caso do grande maestro da equipe até aqui: Lewis Holtby, meia-atacante de 20 anos, emprestado pelo Schalke pela segunda temporada consecutiva para obter experiência. E o segundo ataque mais positivo do Alemão, até aqui (17 gols) tem no jovem germânico o melhor passador da liga: sete assistências.

A mescla que vem funcionando (média de idade de 25,8 anos) ainda tem o prata da casa Andre Schürrle, 19 anos e cinco gols na Bundesliga, alternando dupla de ataque com o tunisiano Sami Allagui, 24, e o húngaro Adam Szalai, 22, ex-Real Madrid Castilla (time B do Real). A experiência fica por conta do veterano eslovaco Miroslav Karhan, 34, que equilibra o meio-campo que contém e sai rapidamente para alimentar o veloz setor de frente, auxiliado pelos "mordedores" Polanski e Caligiuri. Na ótima análise tática feita pelo blog Boleiragem Tática, pode-se entender melhor o trabalho operário da equipe.

A campanha vem talhada sob resultados imponentes: vitórias fora de casa sobre Werder Bremen (2-0), Wolfsburg (4-3) e sobre o poderoso Bayern de Munique, vice-campeão europeu e atual campeão do país em plena Allianz Arena por 2-1, jogando um futebol consistente e que sufocou os bávaros. Um feito e tanto para uma equipe que oscilou entre primeira e segunda divisões na última década e que atravessou grave crise financeira nos anos 80, tornando-se um time amador. Mas ao contrário do Hoffenheim, que tem um grande investidor, ou do Wolfsburg, que é apoiado pela Volkswagen e aproveitou seu crescimento para se desenvolver financeiramente - a compra do meia Diego por 15 milhões de euros da Juventus prova isso - o Mainz gastou pouco (apenas 3,1 milhões de euros nesta temporada) e é mais modesto, mandando suas partidas no Stadion am Bruchweg, com capacidade para apenas 20 mil pessoas - será substituído pela Coface Arena, prevista para 2011, com capacidade de 33 mil espectadores.

Em ótima reportagem feita pela ESPN Brasil
, um dos narradores que acompanham o Mainz diz que mesmo vencendo um jogo por goleada, o técnico "troca quatro ou cinco jogadores", de acordo com as características do adversário. Uma prática relativamente comum na Europa, mas vista com maus olhos no Brasil, onde titulares e reservas parecem estados bem definidos.

A campanha surpreendente transformou alguns atletas do elenco em celebridades, com particicipação em programas de TV. E o técnico da Alemanha, Joachim Löw, disse estar de olho no talento dos jovens "O-Fives". "Jogadores como Schürrle e Holtby estão cada vez mais próximos da seleção com as suas performacnes. É muito bom ver o trabalho que está sendo desenvolvido em Mainz", disse o técnico. É difícil que a equipe mantenha um ritmo tão forte até o fim da Bundesliga - até pela janela de transferências no início de 2011, que pode marcar a saída de alguns atletas. Mas o campeonato local e a seleção alemã só tem a ganhar com o número crescente de surpresas e revelações a cada nova temporada.

2 comentários:

Lucizano disse...

Fala André, meu último post foi exatamente sobre o Mainz, técnico jovem, atletas promissores e talentosos, imagine se continuarem assim...

abs

Abaixo o link da matéria
http://blogdolucizano.blogspot.com/2010/10/carnaval-fora-de-epoca-em-mainz.html

Opinião do Carvalho disse...

Oi, bom dia.

Meu nome é Rodrigo Carvalho, sou jornalista, tenho um blog sobre futebol e gostaria de saber se estaria interessado em fazer uma parceria.

Entrei no seu blog agora, e achei bacana, inteligente.

A linha do meu blog é crítica.

Faço também uma entrevista por semana, sempre publicada aos sábados.

Se quiser, dê uma olhada nas realizadas, com Edmundo, Washington Rodrigues e outros.

Bom, minha proposta é essa, eu colocaria um banner do seu blog na minha página e vice-versa.

Só fiz uma parceria até o momento pois meu intuito não é de puramente fazer por fazer, mas sim de me associar com blogs que eu goste e veja qualidade.

Um grande abraço.



Rodrigo Carvalho



http://opiniaodocarvalho.blogspot.com/