4.7.09

Última chamada para Owen

Imagino que a maior lembrança de Michael Owen para os brasileiros seja daquele garoto que marcou o gol da virada contra a Argentina na Copa de 1998, onde ele recebeu na meia, deixou dois argentinos para trás e bateu o goleiro Roa, decretando a virada daquela partida que terminaria empatada e a seleção albiceleste levaria nos pênaltis, avançando às quartas. Os torcedores ingleses, ao mesmo tempo em que culpavam Beckham pela expulsão naquele jogo – crucial para que a Inglaterra não vencesse – reverenciavam o feito do jovem atacante do Liverpool, à época com apenas 18 anos. Além de esperança no English Team, também era esperança no Liverpool, que ainda vivia um tempo de vacas magras, com poucos títulos de expressão.

Jogando sempre em meio a elencos nem tão estelares, Owen era a estrela dos Reds. Foi artilheiro da Premier League em 1997/98 e 1998/99, ambas com 18 gols. Cada vez mais importante na Inglaterra e no Liverpool, atingiu seu auge em 2001, quando liderou sua equipe rumo à conquista da Copa da Inglaterra, Copa da UEFA e Copa da Liga Inglesa, além de marcar três gols sobre a Alemanha jogando no Estádio Olímpico de Munique, em jogo válido pelas Eliminatórias para a Copa de 2002. De quebra, foi eleito o Bola de Ouro na Europa naquele ano.

Nas sete temporadas como titular absoluto do Liverpool, o então camisa dez sempre foi o artilheiro da equipe. Mas com a saída do técnico Gérard Houllier, ao final da temporada 2003/04 e vislumbrando ganhar títulos de expressão, Owen deixou o Liverpool para se transferir ao Real Madrid, em agosto de 2004. Ironicamente, o novo técnico Rafael Benítez montou a equipe que seria campeã da Champions na temporada em que Owen amargou o banco no Santiago Bernabéu. Deixou Merseyside como o sétimo maior artilheiro da história do clube – 158 gols em 297 partidas – além de uma série de recordes. Mesmo sendo um reserva de luxo nos merengues, anotou 16 gols em 2004/05 e resolveu voltar ao futebol inglês na temporada seguinte, para o Newcastle. Nos Magpies, as contusões passaram a ser mais frequentes. Ainda assim, acabou no elenco da Inglaterra para Copa de 2006, onde sofreria a contusão mais grave de sua carreira, na partida contra a Suécia: ruptura nos ligamentos do joelho direito, a qual deixou o jogador por mais de ano fora dos gramados. Sua passagem pelo Newcastle culminou com o rebaixamento da equipe à segunda divisão em 2008/09, onde claramente não era mais o jogador brilhante de outrora tanto por conta de suas limitações físicas, quanto da limitação técnica de sua equipe.

Sondado por alguns pequenos e médios ingleses, Alex Ferguson viu em Owen, 29 anos, uma chance de reforçar o elenco do Manchester United, muito enfraquecido pelas perdas de Cristiano Ronaldo para o Real Madrid e Carlitos Tevez, ainda sem destino certo. O eterno prodígio chegou a custo zero e aceitou a proposta sem pestanejar: "É uma oportunidade fantástica para mim, e pretendo agarrá-la com as duas mãos. Agora estou ansioso por ser um jogador do Manchester United, e tenho a sorte de já conhecer vários dos jogadores que estão aqui. Perdi a última pré-temporada e estou feliz por começar desde o primeiro dia o trabalho em Carrington", afirmou ao site oficial do Man Utd., de acordo com a Trivela.

Obviamente, Owen não chega para suprir as ausências de Ronaldo e Tevez, até por conta de suas limitações físicas. Mas uma chance nos Red Devils é tudo que ele precisa para descobrir se ainda pode ser útil ao futebol e ao English Team, que ainda carece de atacantes, exceção feita a Wayne Rooney, que será um de seus colegas de elenco. Ferguson é treinador experiente e tarimbado e com certeza, experimentará Owen gradativamente até sua confiança retornar inteiramente. Ainda assim, mesmo com as aquisições de Owen e do equatoriano Valencia, o Manchester United ainda precisará se reforçar muito se quiser manter sua hegemonia na Inglaterra e continuar como uma das melhores equipes da Europa.

2 comentários:

Sobre o Futebol Carioca disse...

BOM DIA.
ESTA AFIM DE TROCAR DE LINKS, EU ADD O SEU BLOG E VC ADD O MEU?
BLZ?

Arthur Kleiber disse...

outra lembranca para os brazucas eh gol que que ele fez na copa de 2002, depois da lambanca do lucio...
faz tempo que ele nao joga nada... talvez num time organizado como o man utd ele consiga dar a volta por cima...