15.6.09

Efeito estilingue?

Após o tropeço dos reservas do Inter em casa no empate contra o Vitória e o triunfo sobre o Náutico no Mineirão por 3-0 - mesmo com um a menos por quase meio tempo – o Atlético/MG de Celso Roth chega à liderança do Brasileirão após seis rodadas. O Galo tem seu melhor início na era dos pontos corridos, superando a marca anterior, de 2003, quando o time chegou à ponta da tabela após cinco rodadas. Coincidentemente, com o mesmo Celso Roth no comando da equipe atleticana. À exceção de 2008, quando brigou com o Grêmio até o final do campeonato com o São Paulo, Roth se caracterizou por ótimos começos de Brasileirão com times tecnicamente medianos, mas sempre acabava sendo demitido ou com sua equipe no meio da tabela após quedas bruscas de produção (campanhas de Roth no blog Futebol em Números).

Ainda com alguma desconfiança e claramente com um elenco limitado, o Atlético/MG vai impondo seu ritmo, com boas atuações de Éder Luiz e Diego Tardelli – artilheiro da equipe no Brasileirão, com três gols e na temporada 2009, com 26 – que parece ter reencontrado o futebol perdido dos tempos de São Paulo, assim como o veterano ala Júnior, além do volantes Márcio Araújo e Renan. Os reforços do bom goleiro Aranha e do zagueiro Alex Bruno ainda parecem pouco para um time que antes da chegada de Celso Roth, há pouco mais de um mês, havia sido destroçado nas finais do Mineiro pelo Cruzeiro após terminar a fase classificatória à frente dos rivais. A renovação na equipe vem acontecendo aos poucos e a liderança apesar de merecida neste momento, ainda é uma grata surpresa. Basta lembrar que vários virtuais favoritos deste campeonato ainda não mergulharam de cabeça no certame, tais como Inter, Corinthians, Palmeiras, Cruzeiro, Grêmio e São Paulo, todos envolvidos em fases decisivas de Copa do Brasil e Libertadores.

Não acho que esse time do Atlético/MG seja péssimo a ponto de brigar pelo rebaixamento, tanto que a equipe tem o ataque mais positivo do campeonato até aqui, com 14 gols. Mas essa liderança real pode mascarar o real potencial da equipe de Celso Roth, se não trouxer mais reforços, principalmente na composição do elenco. E pra quem é supersticioso: além de Celso Roth ainda não ter conquistado nenhuma das edições do brasileirão que disputou – a 12º, em 2009 – o gaúcho acabou sendo demitido depois do excelente começo em 2003 pelo Galo, na 20ª rodada.

6 comentários:

Blog do Carlão - Futebol é nossa área disse...

O Peixe na Vila será um grande teste para este Galo.

Marcel Jabbour disse...

O Celso Roth não é tão bom quanto a posição dele na tabela. Mas ele também não é tão ruim quanto o estigma que se criou em torno dele.

Abraços!

diletra.blogspot.com

Thaís Poggio disse...

Olá Tudo bem? O Blog está muito bom! Vou passar a acompanha-lo! Quando der passe no meu para ver se você gosta! www.ligadonabola.com.br

Vinicius Grissi disse...

O Galo não tem time para brigar na parte de cima. Mas não também não vai brigar na parte de baixo.

É um time para ficar entre a oitava e décima posição.

Leandrus disse...

Não acredito que o Atlético-MG conseguirá manter a boa fase nas próximas rodadas. Porém, é um time para ficar na parte superior da tabela. No momento, devem aproveitar que muitas equipes ainda não estão focadas na competição e conquistar o maior número de pontos possíveis. Assim, acumulará uma certa gordura e poderá ficar mais tranquilo quando a competição realmente começar a pegar fogo, exatamente quando as coisas deverão ficar mais complicadas para o Galo e a limitação do time poderá pesar.

Ateh!

Tavares disse...

O Atlético está sabendo aproveitar bem, acumulando gorduras pra poder gastar mais pra frente. Também penso que não se aguenta na ponta da tabela nem na briga por Libertadores, mas creio que é forte concorrente a uma vaga na Sulamericana.

Abraços.

p.s.: parabéns, gostei do blog.