8.2.10

Mardi Gras na Flórida

Assistir ao SuperBowl é sempre um programão. Estádio lotado, muita organização, show de estatísticas e uma lição de como se organizar um evento esportivo. Ainda estamos muito atrás dos americanos quando o assunto é promover espetáculos. Dessa vez não foi diferente.

Quem foi até o Sun Life Stadium, em Tampa, Flórida, viu além de uma grande partida, um show histórico com a banda The Who. Os que assistiram o jogo pela televisão ajudaram a bater o recorde de audiência da TV americana. Segundo uma pesquisa da Nielsen Company, cerca de 106,5 milhões de pessoas acompanharam o Super Bowl XLIV. Índice que desbancou a duradoura marca da série M-A-S-H, de 1983.

Em campo, as duas equipes de melhor campanha na temporada. Indianapolis Colts e New Orleans Saints fizeram uma partida equilibrada e cheia de alternativas. Com a segurança de um dos maiores quarter backs da história, Peyton Manning, os Colts fizeram um primeiro quarto arrasador. Invertendo as jogadas e usando muito as corridas do então apagado Joseph Addai, o time de Indianapolis conseguiu abrir 10 a 0.

Mas como pregam os dramas hollywoodianos mais recheados de clichês, "os grandes sempre querem a bola". E foi com esse espírito que o quarterback dos Saints, Drew Brees, voltou para o segundo quarto com outra disposição. Mais firme na defesa e efetivo nos lançamentos curtos na lateral, New Orleans controlou a bola e o relógio. E nos momentos mais importantes, a equipe mostrou uma ousadia raramente vista em jogos decisivos. Enquanto os mais conservadores criticavam a estratégia ultra-ambiciosa, jarda a jarda o time do Sul se aproximava da vitória. Um triunfo sacramentado pelo cornerback T. Porter, que interceptou um passe de Peyton Manning e fechou a partida em 31 a 17 para o Saints. Primeiro título da equipe do estado da Lousiana.

Drew Brees levou merecidamente o título de MVP (jogador mais valioso) e a cidade New Orleans ganhou mais um motivo para se orgulhar, além do Carnaval "Mardi Gras". A famosa terça-feira gorda é uma das maiores festas populares dos Estados Unidos e começa na semana que vem. Este ano, a tradicional fantasia de jogador dos Saints vai ganhar um adereço especial: um anel de campeão no dedo.

2 comentários:

Vinicius Grissi disse...

O grande evento do esporte mundial, para mim. Maior do que qualquer outra coisa.

Não assisto futebol americano, mas sempre que possível vejo o Super Bowl. Vale a pena!

Net Esportes disse...

Mais uma vez um Super Bowl incrível, em termos de jogo achei fenomenal as atitudes do New Orleans, as decisões do técnico e a ousadia, o onside kick maravilhoso, a jogada de dois pontos após o touchdown e as tentativas de quarta descida ..... a interceptação para culminar a vitória foi merecidíssima, pois o Payton Manning fatalmente conseguiria levar sua equipe a empatar o jogo ....... parabéns Saints, grande vitória.